Uma das datas que mais movimenta o comércio, a Black Friday, vai acontecer nesta sexta-feira (25). Para orientar o consumidor de possíveis golpes, a Coordenadoria Municipal de Defesa do Consumidor (Procon) elaborou algumas dicas para a população comprar com segurança. O evento é conhecido por proporcionar descontos especiais em produtos, mas é preciso ficar atento aos anúncios tanto no comércio local, quanto em compras online.

 

Segundo o coordenador executivo do Procon de Criciúma, Gustavo Colle, a orientação é de que, antes de adquirir uma determinada mercadoria, o consumidor pesquise os preços do produto, devido às propagandas enganosas que podem surgir com a Black Friday.

 

“É viável que o cidadão avalie a necessidade de efetivar uma compra específica, deixando o impulso de lado. Caso concretize a compra, a pessoa deve exigir a nota fiscal e avaliar a garantia estendida”, ressaltou.

 

Além disso, o Procon também alerta para que o comprador verifique se o produto anunciado é uma peça de mostruário, confira a política de troca com o fornecedor, fique atento ao prazo de entrega, observe a responsabilidade do pagamento do frete e tome cuidado ao acessar links de ofertas recebidos por e-mail, pois podem não ser confiáveis.

 

A dica mais importante para evitar fraudes é alertar o consumidor a guardar provas, como fotos e encartes para constatação e formalização de uma possível denúncia. Quanto mais elementos tivermos para provar a irregularidade, mais consistente e mais fácil será enquadrar as empresas que estão cometendo as infrações”, finalizou.

 

Confira a lista de cuidados necessários:

 

1 - Definir o produto que a pessoa precisa: não deixar para fazer as compras por caráter de oportunidade. É possível que isso não seja benéfico para o orçamento e as finanças. É recomendado que o consumidor busque apenas o produto que realmente estiver precisando. No dia, todo desconto vai parecer como oportunidade, mas a verdade é que nem sempre o será.

 

2 – Definir as marcas de interesse: não comprar qualquer marca. Muitas vezes, alguns produtos são oferecidos à venda sem que venham a oferecer posteriormente a qualidade esperada por quem compra. Se o consumidor possui afinidade com marca A, B ou C, é recomendado concentrar as avaliações comerciais apenas nessas marcas.

 

3 – Analisar o comércio virtual: o comércio virtual está acessível para o consumidor 24 horas por dia. O indicado é verificar como está o ambiente e as condições de vendas, para que se tenha uma ideia do que está ou não atrativo para as pretensões de compra da pessoa. É necessário, ainda, considerar custos de frete, para verificar se a compra em determinada plataforma é vantajosa.

 

4 – Procurar ir às lojas antes do evento: esse cuidado conferirá uma análise adequada se realmente há uma promoção, com vantagens para aquisição do produto ou se apenas há um excessivo apelo comercial por vendas, que tragam de fato uma vantagem de compra por parte do consumidor.

 

5 – Consultar a credibilidade da loja: caso o comprador ainda não seja cliente da loja em que pretende comprar, é aconselhado falar com pessoas que já fizeram compras no estabelecimento, para verificar se o pós-venda é adequado. Caso tenha ocorrido algum contratempo entre cliente e loja, a pessoa deve pensar duas vezes antes de continuar a compra.

 

Para mais informações ou denúncias, o consumidor pode consultar o site do Procon de Criciúma, por meio do link criciuma.sc.gov.br/procon, ou diretamente na sede do órgão, localizada na rua Henrique Lage, n° 267, no bairro Centro. As dúvidas também podem ser solucionadas pelo telefone 151, ou (48) 3445-8522. O Procon atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.