Foto Eduardo Montecino/OCP News
Foto Eduardo Montecino/OCP News

Vou Gestão de Eventos Eficiente, Uptime Tecnologia, Você Pede, MEGi9 e Só Venda: estas foram as cinco primeiras empresas selecionadas para serem incubadas no Centro de Inovação de Jaraguá do Sul, o NoVale Hub.

Além dessas, outras duas empresas utilizarão o espaço de coworking: A Index, empresa de RH, e a Crom, empresa de inovação em engenharia.

As cinco empresas tem em comum o eixo de atuação: embora ofereçam serviços distintos, todas as cinco são do setor de Tecnologia da Informação (TI) - saindo do perfil mais industrial da cidade. A diversificação da matriz econômica de Jaraguá do Sul é uma das metas do espaço.

Outro fator em comum entre as empresas está a relação com a Incubadora Tecnológica da Universidade Católica de Santa Catarina, a JaraguaTec:  todas as cinco surgiram no espaço, um dos órgãos seminais do chamado "ecossistema de inovação" do município.

Atuando no segmento de corretores de imóveis, com venda online, a Só Vendas está há 10 meses no JaraguáTec, e agora segue para o NoVale Hub, trabalhando com desenvolvimento de ferramentas online para corretagem de imóveis.

"Estamos há cerca de dois anos trabalhando no nosso produto, um software para corretores de imóveis, e para nós que trabalhamos com inovação é importante ter esse tipo de espaço", conta o fundador da empresa, Maurício Fragoso.

Sócio-fundador da MEGi9, Edson Pio frisa que a transição ainda está um tanto nebulosa e que ele e os sócios, Márcio Paludo e Gisela Vogt, estão discutindo com a gestão do Centro os detalhes quanto ao espaço e a infraestrutura.

"Como somos uma empresa de computação, temos ainda que definir bem como será a conexão de internet do espaço, com provedores e linhas alternativas para evitar quedas", explica.

A empresa surgiu há cerca de um ano, prestando serviços para os clientes da Systêxtil, empresa de gestão empresarial, a pedido da empresa.

A transição foi complicada, devido ao perfil técnico do trio, então sem experiência em gestão. Hoje, além de atender os clientes da Systêxtil, a empresa também desenvolve ferramentas online para gestão de projetos.

Sócio fundador da Uptime Tecnologia, empresa de consultoria de TI com quase nove anos de experiência, Andrews Roberto da Silva acredita que em fevereiro o processo de transição do JaraguaTec para o NoVale Hub esteja concluído.

"Ainda temos que montar nosso espaço lá, não temos nada pronto ainda", diz. "Acho que sou a empresa mais antiga no JaraguaTec, e agora é um passo novo, é um mudança de lugar para a gente, a incubadora já nos atende bem e agora estamos animados com essa transição para uma nova etapa", conta.

As outras duas empresas também atuam no desenvolvimento de ferramentas online para outros setores do mercado: a Você Pede trabalha com ferramentas para gestão de bares e restaurantes, enquanto a Vou Gestão de Eventos Eficiente oferece ferramentas para a gestão e o planejamento de eventos como festas, seminários e convenções.

Janeiro será período de transição, diz diretor

Segundo o diretor executivo do Centro, Robert Burnett, o mês de janeiro será um período de transição para as empresas a serem incubadas no espaço.

Na terça-feira (8), uma reunião entre as cinco empresas e a administração do centro visava esclarecer dúvidas quanto ao uso do espaço, o processo burocrático e as necessidades das empresas.

OS cinco negócios terão um prazo de carência, estimado entre quatro e cinco meses, para “darem os primeiros passos”. A partir daí, elas deverão arcar com as despesas de utilização do espaço, de R$ 30 por metro quadrado ao mês.

Burnett conta ainda que as empresas interessadas devem se submeter ao edital e apresentar um plano de negócio que será avaliado. Outra taxa será cobrada ao saírem da incubadora, de 1% da receita líquida do último ano em que ocuparam o espaço.

Além disso, as empresas incubadas terão acesso às outras facilidades do Centro,  como sala de reuniões, auditório, espaço para conversas com clientes, copa e  apoio administrativo, explica Burnett.

WEG passará a operar no espaço

Além das empresas que farão a transição em janeiro, outra empresa deve passar a operar no Centro a partir da terça-feira, dia 15: a WEG, que se instalará como a primeira das "empresas anjo" do espaço.

O conceito é derivado do de "investidor-anjo" - empresários e empresas com capital já formado e interesse em sustentar, guiar e fomentar empresas nascentes.

A atuação de empresas e empresários consolidados nestes espaços tem como objetivo fomentar negócios com alto potencial de retorno - e no caso da atuação de empresas no Centro de Inovação, procurar ideias inovadoras que possam ser aplicadas em seus produtos.

O termo "anjo" se deve por estes investidores darem formas de apoio ao empreendedor que vão para além do investimento financeiro, aplicando seus conhecimentos, experiência e rede de relacionamento para orientá-lo e aumentar suas chances de sucesso.

A atuação de empresas consolidadas no espaço do Centro de Inovação já estava prevista na inauguração do centro, e assim como as empresas incubadas, empresas como a WEG se comprometem a apresentar planos de ação e resultados do seu uso do espaço.

Outras empresas devem também se instalar como "anjos" e mentores no espaço, segundo explicou em novembro o presidente do conselho gestor do NoVale Hub, Anselmo Ramos.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?