Da fazenda de pasto e barro no município de Penha surgiu o maior parque temático da América Latina, que figura na lista dos 25 mais expressivos do mundo.

No ano passado, recebeu 2,2 milhões de pessoas e o público deve chegar a 6 milhões em cinco anos.

“João Batista Sérgio Murad viu uma área imensa de uma fazenda e desenhou tudo isso que é Beto Carrero World”, a declaração é do presidente do Beto Carrero World, Rogério Siqueira.

Ele falou sobre a inovação e a gestão do local na Acij (Associação Empresarial de Joinville) nesta segunda-feira (24).  

Durante a explanação, Siqueira anunciou novidades no parque. Uma delas foi levada para 1,3 mil lojas da CVC em todo o país.

Um pacote que inclui a vivência na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em Joinville, juntamente com um dia de diversão no Parque Beto Carrero Word, em Penha.

Parque Beto Carrero antes e depois | Foto Divulgação/Acij

O projeto dá enfoque ao deslocamento rodoviário e atendeu o primeiro grupo de 65 turistas no feriado de Corpus Christi. 

Parceria com a Marisol

Outra aliança que permanece é a realização do festival sertanejo Villamix, no dia 29 de dezembro. Siqueira citou também a parceria de 20 anos com a Marisol, na qual inclui área temática da Lilica Ripilica e Tigor T.

Fez referência ainda aos parceiros internacionais com o estúdio de animação Dreamworks e a área de mostras acrobáticas com veículos, a autorizada pela Mattel. 

“Daqui, somente para cima, para trás não podemos voltar. O Beto Carrero fará 30 anos em 2021 e estamos articulando um novo contrato internacional”, revelou o presidente.

Siqueira adiantou também que foram adquiridos novos brinquedos, mas que a entrega ocorre daqui a dez meses, aproximadamente. 

O próximo passo é um financiamento junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o parque se tornar um polo do Projeto Tamar, incluso uma área temática e um setor de recuperação de animais silvestres. 

Equipe alinhada 

Siqueira destaca que todos os colaboradores sabem a história do parque, o que fazer e o que falar | Foto Cleber Gomes/Acij

Sobre os desafios da gestão, ressaltou que assumiu o cargo para reavivar a ideia de um grande homem.

“Entrei com a missão de resgatar um sonho e responder ao mercado que o parque iria continuar. Fiz a melhor faculdade de empreendedorismo que alguém poderia ter”, destacou Siqueira, que está na função desde janeiro de 2015.

Ao público, falou sobre a importância de ter a equipe alinhada, capacitada e motivada a acreditar no trabalho e a cada dia ver algo novo na função. 

“Todos os colaboradores sabem a história, o que falar e fazer, recebem treinamento para aprender como trabalhar e conviver nesta operação”.

No período de crise, o público escolhido estava nas cidades com produção no agronegócio, uma alternativa para aumentar o número de visitantes e crescer dois dígitos no faturamento. 

“O turismo rodoviário tem 40 milhões de pessoas, fomos até essas cidades com uma caravana”, afirma.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Acij 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

Telegram  

Facebook Messenger  

WhatsApp