Para arrancar um sorriso dos meninos e meninas neste Dia das Crianças, comemorado na quinta-feira (12), os consumidores brasileiros podem pagar até 72,18% de carga tributária nos presentes. Os videogames, incluindo também jogos e consoles, lideram o ranking entre os produtos com mais impostos agregados ao preço de acordo com estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). Em segundo lugar estão os tênis importados, com 58,59% de tributo, contra 44% dos nacionais. Os patins, skates e patinetes aparecem empatados na terceira colocação. Bonecas, carrinhos, spinner e outros brinquedos, que são a principal intenção de compra dos consumidores para esta data segundo levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio), devem ser vendidos com 39,70% de imposto. Depois dos brinquedos, a segunda opção mais procurada para presentear as crianças são as de vestuário. Estes estarão com 34,67% de carga tributária conforme o IBPT. A bola de futebol também deve sair mais pesada para os pais e familiares, com 48,49%. Outro presente tradicional no dia 12, as bicicletas devem sair com 45,93% de tributo. A média de impostos para este Dia das Crianças é de 41,70%. No ranking divulgado pelo IBPT, os produtos com menos impostos são as viagens, com 29,56%, os ingressos para o cinema e teatro, 20,85% e os livros, com 15,52%. Os livros aparecem em quarto lugar na pesquisa de intenção de compra feita pela Fecomércio. O catarinense deve gastar em média R$ 180,92 na data. O IBPT ainda destaca que os brasileiros estão pagando mais impostos neste ano do que em 2016. Exemplo disso foi a marca de R$ 1,5 trilhão de tributos no Impostômetro 22 dias antes do que no ano passado. Até a manhã de segunda-feira (9), o Impostômetro marcava 1.6 trilhão pago em impostos, taxas e contribuições no país desde o primeiro dia do ano. O dinheiro é destinado à União, aos estados e aos municípios. Só em Jaraguá do Sul, a arrecadação já alcançou os R$ 98 milhões. Em 2016, no mesmo período, o marcador indicava R$ 88 milhões. No Estado o montante é de R$ 63,4 bilhões. Taxa de imposto nos presentes (IBPT) Presentes mais procurados (Fecomércio) Brinquedo – 52,4% Vestuário – 32,3% Calçado – 4,6% Eletrônico – 3,4% Livro – 1,7% Chocolate – 0,6%