A Prefeitura de Guaramirim projeta arrecadar mais de R$ 1,5 milhão com a venda dos lotes que integram o Condomínio Industrial do município. A estimativa foi divulgada nesta quinta-feira (26) pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Ademir da Silva, logo após a abertura das propostas técnicas e de valores apresentadas pelas empresas concorrentes. Dos 11 lotes disponibilizados pelo município, sete despertaram o interesse da iniciativa privada. Seguindo as diretrizes determinadas pelo poder público, as companhias terão um prazo de cinco dias para a apresentação de recursos. Finalizada esta etapa, a fase seguinte consiste na homologação e venda dos terrenos, explica Silva. Segundo o secretário, as empresas participantes da concorrência estão, em sua maioria, ligadas à indústria da transformação, com destaque para os setores metalmecânico e de alimentação. “Tivemos empresas tanto da cidade quanto de municípios da região, como Joinville e Massaranduba, de médio e grande porte, incluindo multinacionais”, detalha ele. Os nomes das vencedoras devem ser divulgados nas próximas semanas. Uma vez feita a homologação e assinatura do termo de contrato, as empresas terão cinco dias para realizar o pagamento da entrada, estipulada em 30% do valor do lote. O restante poderá ser pago em até doze parcelas, com carência de seis meses. “As companhias terão um ano e meio para construir pelo menos 15% do terreno e lançar a primeira nota fiscal. Ou seja, em um curto período de tempo já teremos estas empresas produzindo”, destaca Silva. Uma comissão de fiscais ficará encarrega de acompanhar e fiscalizar o andamento das obras, a fim de garantir o cumprimento dos termos do edital. Pela lei, os terrenos ficarão alienados na Prefeitura por um prazo de 120 meses. A expectativa do poder público é finalizar todos os investimentos em infraestrutura dentro do período de um ano e meio, incluindo as estruturas de asfalto, água e energia, com a instalação de uma subestação de transmissão e distribuição da Celesc prevista para 2019. “A nossa visão é de que o resultado foi bem amarrado e que tivemos empresas com muito potencial econômico. O foco desde o princípio foi trazer empresas sólidas, com alta empregabilidade e que entendem o compromisso que assumiram com a cidade, por isso a expectativa é de que elas ajudem a impulsionar o ciclo de crescimento de Guaramirim”, avalia Silva. Atualmente a Secretaria de Desenvolvimento Econômico tem mantido uma atuação ativa para prospecção e atração de novas empresas. Esta semana, representantes do poder público estiveram em Araucária, no Paraná, numa tentativa de debater iniciativas para incentivar a ampliação do setor petrolífero na cidade. Proposta semelhante deverá ser levada a outros setores da economia em Chapecó na próxima semana. Para o futuro, a Prefeitura planeja a realização de um novo edital, focado na venda dos quatro lotes que ainda estão disponíveis no condomínio industrial. Por enquanto não há previsão de quando a nova concorrência deve acontecer. O condomínio industrial estava parado desde 2003. OLHO “O foco desde o princípio foi trazer empresas sólidas, com alta empregabilidade e que entendem o compromisso que assumiram com a cidade, por isso a expectativa é de que elas ajudem a impulsionar o ciclo de crescimento de Guaramirim”, secretário de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Ademir da Silva.