Prates nega que Lula tenha ordenado não pagamento de dividendos da Petrobras

Foto: Divulgação/Petrobras

Por: Pedro Leal

11/03/2024 - 16:03 - Atualizada em: 11/03/2024 - 16:13

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, negou nesta segunda-feira (11/3) que o Lula (PT) tenha ordenado o corte de R$ 14,2 bilhões em dividendos extraordinários aos acionistas da estatal.

A notícia havia resultado na perda de R$ 55,3 bilhões em valor de mercado após frustrar as expectativas dos acionistas.

A informação é do blog de Andréia Sadi e do portal Metrópoles

“O presidente não deu nenhuma ordem sobre a questão dos dividendos. Nós estamos discutindo isso com o acionista majoritário dentro dos espaços possíveis. Houve uma discussão a tempo do anúncio do balanço, havia necessidade de fechar o balanço. E foi definido que a gente adiaria a discussão”, afirmou Prates.

Os dividendos são a parcela do lucro da empresa que é repartida entre os acionistas.

No balanço financeiro de 2023, divulgado na quinta-feira (7), a companhia anunciou uma redução de 33,8% nos lucros em 2023 e de 66% nos dividendos.

O montante de R$ 14,2 bilhões, dos R$ 72,4 bilhões estimados, ainda necessitava de aprovação da Assembleia Geral Ordinária estatal.

O Conselho de Administração da Petrobras propôs o pagamento de dividendos extraordinários aos acionistas.

A proposta visava distribuir uma fatia maior do lucro aos investidores, porém, os representantes do governo votaram contra, resultando na rejeição da medida.