A Petrobras é a única empresa a integrar o Grupo de Trabalho instituído esta semana pelo Ministério Público (MP) para elaborar estudos de aprimoramento de mecanismos de prevenção, detecção e correção de condutas ilícitas e antiéticas no âmbito do órgão. A informação foi dada pela assessoria de comunicação da estatal.

O diretor de Governança e Conformidade, Marcelo Zenkner, e o Ouvidor-Geral, Mario Spinelli, foram convidados a compor o grupo, formado majoritariamente por representantes do MP. Eles apoiarão o órgão na promoção de debates, diagnósticos e iniciativas voltadas à criação de cultura que encoraje a conduta ética e a aderência ao compliance.

Para o diretor Marcelo Zenkner, a indicação reconhece a evolução do sistema de integridade da Petrobras. “Após anos de trabalho, agora estamos na posição de contribuir. Superamos os casos revelados pela Lava-Jato e criamos uma cultura de ética e integridade na companhia. Com essa experiência, vamos contribuir para a formulação de regras anticorrupção para os Ministérios Públicos de todo o país, incluindo o Ministério Público Federal. É uma virada de página na história da companhia”, comemora.

O fortalecimento das boas práticas de governança e integridade em seus processos tem rendido à Petrobras reconhecimento nacional e internacional. No ano passado, a companhia voltou a ser elegível para receber investimentos do maior fundo de pensão da Noruega (KLP) e também retornou ao Partnering Against Corruption Initiative (PACI), iniciativa do World Economic Forum (WEF) para temas de combate à corrupção e transparência.