A Petrobras anunciou uma nova redução em preço de combustíveis, desta vez referente ao Gás Natural. A redução entra em vigor no dia 1º de novembro.

Segundo a estatal, a redução será em média de 5%, em relação trimestre vigente - agosto, setembro e outubro.

A companhia frisa também que o preço não determinado apenas pela estatal, e que a redução é referente ao gás natural, e não ao Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha.

Confira a integra do comunicado:

A partir de 1º de novembro, conforme os contratos acordados pela Petrobras com as distribuidoras, os preços atualizados de venda de gás natural - transportado e distribuído por dutos - terão redução média de 5% em R$/m³, com relação ao trimestre agosto-setembro-outubro. Tais contratos preveem atualizações trimestrais e vinculam a variação do preço do gás às oscilações do petróleo Brent e da taxa de câmbio. Durante o período, o petróleo teve queda de 11,5%; e o câmbio teve depreciação de 6,5% (isto é, a quantia em reais para se converter em um dólar aumentou 6,5%).

A Petrobras ressalta que o preço final do gás natural ao consumidor não é determinado apenas pelo preço de venda da companhia, mas também pelas margens das distribuidoras (e, no caso do GNV, dos postos de revenda) e pelos tributos federais e estaduais. Além disso, as tarifas ao consumidor são aprovadas pelas agências reguladoras estaduais, conforme legislação e regulação específicas. Importante informar que a atualização anunciada para 1/11/22 não se refere ao preço do GLP (gás de cozinha), envasado em botijões ou vendido a granel.

Os preços atualizados seguirão vigentes até 31/01/2023, conforme estabelecido nos contratos firmados. A atualização trimestral do preço do gás natural e anual para o transporte do produto permite atenuar volatilidades momentâneas e aliviar, no preço final, o impacto de oscilações bruscas e pontuais no mercado externo, assegurando, desta forma, previsibilidade e transparência aos clientes. Os contratos são públicos e divulgados no site da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).