A pandemia mudou diversos comportamentos dos consumidores e acelerou alguns que já eram previsíveis. Há tempos se falava que a tecnologia iria dominar o mercado e, por isso, as empresas precisavam estar na internet. No entanto, parte das organizações adiava esse tempo - até chegar 2020.

De acordo com o Índice de Transformação Digital da Dell Technologies 2020, cerca de 87% das empresas realizaram alguma ação no último ano para se digitalizar. Da parte dos clientes, também houve mudanças.

Por conta da necessidade de distanciamento social, mesmo quem nunca tinha feito compras on-line, começou a usar a tecnologia. As pessoas mais velhas, principalmente, passaram a conhecer os e-commerces. Veja a seguir!

Como as pessoas mais velhas descobriram o e-commerce

Pessoas com mais de 60 anos acompanharam o surgimento dos e-commerces. No entanto, muitas delas preferiram continuar a fazer as compras de maneira presencial por diversas razões. Além de poder ver e escolher o que desejam, para eles, comprar presencialmente é mais confiável e seguro, já que eles vêem o pagamento sendo feito na frente deles.

Por outro lado, as compras digitais levantam dúvidas. Será que é mesmo seguro colocar informações de cartão de crédito em um site? E os golpes que aparecem todos os dias no noticiário? Por conta dessas e outras questões, muitos adiaram a experiência do e-commerce. Até a pandemia chegar e impor uma nova necessidade.

Como não era possível sair com tanta frequência, os consumidores tiveram que buscar alternativas. Nesse contexto, as lojas virtuais se mostraram a solução adequada para comprar e receber os produtos em casa.

De acordo com Kristina Cveckova, gerente de comunicação do Kimbino.com.br, portal que divulga folhetos e promoções de diferentes lojas, as maiores mudanças de comportamento podem ser observadas nos públicos mais velhos, pois os jovens já usavam a internet com frequência. “Atualmente, é possível observar um aumento expressivo de pessoas com mais de 65 anos entre os internautas que desejam fazer compras”, afirma.

E-commerces para todos

O interessante é que a chegada do público mais velho à internet para comprar só tende a aumentar o leque de produtos e lojas. Atualmente, já é possível encontrar todo tipo de mercadoria em poucos cliques, desde alimentos, roupas, calçados, eletrodomésticos, medicamentos e muito mais.

Até mesmo as empresas mais tradicionais estão passando por um processo de transformação digital. Exemplo disso é a Lojas Cem. A organização ainda não possui e-commerce, apenas loja física. No entanto, ela divulga as promoções em folhetos digitais.

Como é possível ver neste folheto online das Lojas Cem, os consumidores podem encontrar sofás, notebooks, smart tvs, impressoras e smartphones em promoção nas lojas. O encarte informa ainda que até quando os descontos são válidos e outras informações sobre os produtos.

Por conta do aumento de pessoas mais velhas na internet, a expectativa é que as marcas passem a direcionar a comunicação também para elas. Hoje em dia, a publicidade é bastante focada no público jovem, com brincadeiras relacionadas às redes sociais.

Ainda que a pandemia tenha trazido muitos desafios para toda a sociedade, ela ajudou a acelerar processos que estavam em andamento. A transformação digital é o mais evidente, e tem até atraído pessoas mais velhas, como visto neste artigo. A partir de agora, é de se esperar que mais pessoas possam aproveitar as vantagens de comprar de casa, mesmo quando já for possível aglomerar como antes.