Por Kamila Schneider Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (21) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mostra que a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) alcançou 78,2 pontos em março de 2017, um avanço de 1,4% na comparação mensal e de 0,9% frente a março de 2016. O cenário é visto como positivo pela entidade, que espera estabilidade nas vendas do comércio neste ano. Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Jaraguá do Sul, Marcelo Nasato, a expectativa é de que os recursos injetados na economia local, como o FGTS e a divisão de lucros da Weg, por exemplo, ajudem a movimentar o comércio e estimulem os comerciantes a investir cada vez mais em soluções inovadoras. “Recursos com o do FGTS serão injetados continuamente até julho. Então, algum reflexo para o comércio isso terá. Seja na aquisição de novos produtos ou na quitação de dívidas, o consumidor sem dúvida colocará este dinheiro em circulação”, analisa Nasato. “É claro que este incremento não vai acontecer todo de uma só vez, o que vemos hoje é muita gente pesquisando, conferindo as novidades, estudando as melhores formas de investir seu dinheiro”, complementa ele. - Leia mais em: Comércio de Jaraguá aposta em preços atrativos para esquentar vendas - Conforme a pesquisa da CNC, a perspectiva de consumo das famílias cresceu 3,1% em março, na comparação com fevereiro. Já na comparação anual, o avanço foi de 13,1%, a sexta variação positiva desde agosto de 2014. Ainda segundo Nasato, a melhora no otimismo precisa ser encarada de forma cautelosa e os comerciantes devem buscar avançar mantendo os “pés no chão”. “Sabemos que as perdas dos últimos anos foram graves e devemos demorar pelos menos de dois a três anos para recuperar esta queda. É importante ser otimista, mas também se manter atento para guiar o negócio com calma e cautela”, aconselha.