Iniciativa de apoio a crianças e adolescentes acolhidos em casas lares, o Programa Novos Caminhos celebrou, nesta segunda (30), seu oitavo aniversário. O ato foi marcado por uma live, transmitida por meio do canal de Youtube da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), no qual foram apresentados depoimentos de pessoas envolvidas no programa – jovens atendidos, profissionais que os atendem e empresários que os contratam.

O objetivo central do programa é promover a inclusão no mercado de trabalho de jovens e adolescentes acolhidos nos programas oficiais. Entre as ações constam cursos profissionalizantes, capacitação socioemocional e encaminhamento para estágio e emprego. Nesses oito anos, foram realizados mais de 3,5 mil atendimentos a cerca de 2,5 mil jovens e adolescentes.

O Novos Caminhos surgiu em 2013, fruto de parceria entre a Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) e Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC). Posteriormente, aderiram à iniciativa a Ordem dos Advogados do Brasil/Santa Catarina (OAB/SC), o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio/SC), a Associação Catarinense de Medicina (ACM) e a Fundação de Estudos Superiores de Administração e Gerência (Fesag).

“O programa tem um alcance social muito relevante, ao proporcionar aos jovens e adolescentes oportunidade ímpar de ter um horizonte de dias melhores; mais do que isso, o programa é um exemplo inequívoco do poder do diálogo entre o Poder Judiciário de Santa Catarina e a sociedade civil, em especial a representação industrial catarinense”, destacou o diretor institucional e jurídico da Fiesc, Carlos José Kurtz. “É a união de todos os interessados, dialogando na construção de uma sociedade melhor”, acrescentou.

O presidente do TJSC, Ricardo Roesler, salientou que “Santa Catarina é exemplo de diálogo e isso é da raiz do povo catarinense”. Ele destacou a motivação das pessoas envolvidas no Programa Novos Caminhos. “Nós vislumbramos a motivação, engajamento, o brilho nos olhos de todos aqueles que participam desse programa”, destacou.

O juiz Marcelo Pizolati, presidente da AMC, fez um apanhado histórico do programa, destacando a geração de oportunidades para as crianças acolhidas.

A coordenadora da coordenadoria estadual da Infância e Juventude do TJSC, desembargadora Rosane Portela Wolff, observou que, apesar de eventuais percalços e frustrações, “muitos dos atendidos conquistaram uma vida autônoma e digna, graças ao programa”. Representando a OAB no evento, Paulo Marcondes Brincas destacou o apoio psicológico oferecido aos jovens e adolescentes e que a comunidade pode ajudar ainda mais, com serviços de profissionais como psicólogo, dentista, oferta de aulas de idiomas ou de informática, entre outros.

O Programa Novos Caminhos está estruturado nas seguintes frentes de ação:

  • Educação básica e profissional - oferta de curso do Sesi, Senai e Senac;
  • Vida saudável - atendimento psicológico, odontológico e oficinas de nutrição;
  • Ações para empregabilidade (articulações locais e estaduais para a abertura de vagas nas empresas.
  • Parceria para oferta de outras ações - parceria em esporte, cursos com SEBRAE, Junior Achievement, UFSC, campanhas no Eu Voluntário da FIESC conforme o levantamento de necessidade de cada Serviço de Acolhimento;
  • inclusão digital - as empresas doam equipamentos e a Fiesc realiza a manutenção para a entrega aos Serviços de Acolhimento.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp