Ovos de Páscoa menores e mais caros ocupam prateleiras

Adrilaine Antunes, confirma que o preço veio majorado este ano - Fotos: Eduardo Montecino/OCP Online Adrilaine Antunes, confirma que o preço veio majorado este ano - Fotos: Eduardo Montecino/OCP Online

Economia

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sábado, 04:00 - 20/02/2016

OCP News Jaraguá do Sul
  Falta pouco mais de um mês para a comemoração do domingo de Páscoa, celebrado em 27 de março. Apesar da proximidade da data, basta circular pelas lojas e supermercados de Jaraguá do Sul para constatar que poucos estabelecimentos comerciais estão com os tradicionais ovos e coelhos de chocolate disponíveis nas parreiras e gôndolas. A maioria ainda não dispõe de um espaço específico para os artigos pascais, ou ainda está em processo de montagem do parreiral. O consumidor deve desembolsar 10% a mais na compra de chocolates do que em 2015 e constatar que os itens estão menores em tamanho, tudo porque o os custos do cacau e do açúcar estão atrelados ao dólar. O país é o terceiro maior consumidor e produtor de chocolates no mundo e no ano passado teve queda de 10% na produção das fábricas, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados. Disposta a estimular o consumo e a oportunizar o planejamento antecipado dos gastos, um supermercado localizado na rua João Januário Ayroso, no bairro Jaraguá Esquerdo, está com os produtos expostos desde o dia 13, provocando os sentidos e estimulando o consumo. “Nos antecipamos e montamos a parreira na semana passada. A negociação com as indústrias foi feita antes e por isso os produtos chegaram mais cedo. Realmente, estão em torno de 10% mais caros e vieram com peso menor”, reconhece o gerente, Rodrigo Moura. Segundo ele, o volume encomendado pela rede para as três principais fabricantes (Lacta, Nestlé e Garoto), se manteve igual ao ano anterior. Ovos de 700 gramas podem ser adquiridos por R$ 69,99, e os de 120 gramas, que vieram em maior quantidade, custam R$ 15,90 a unidade. Na versão diet, o ovo de 215 gramas está a R$ 27,90 e o meio amargo, R$ 26,90. As cestas econômicas, com 14 itens variados, estão a R$ 24,90 e com 11 itens, R$ 19,90. “A caixa de bombom parece que vai ser a ‘vedete’ dessa Páscoa”, opina o gerente, em referência aos preços, entre R$ 7 e R$ 9. “O pessoal está procurando para ver os preços. As crianças vem e mostram o que querem ganhar”, constata. Apelo visual para a compra O açougueiro Ilson Aparecido Prachedes, 33, que foi às compras acompanhado da filha Laura, de seis anos, nem imaginava que encontraria o parreiral lotado de ovos coloridos. Encantada, a menina correu para pegar um ovo de 170 gramas com a Barbie estampada, a R$ 35,90. “Ainda estou decidindo se levo agora. No ano passado gastei R$ 350 em chocolates, mas este ano espero gastar no máximo R$ 200”, diz Ilson. Personagem menina escohenod ovos e preço - em

Açougueiro Ilson Prachedes foi às compras com a filha Laura, que se encantou com ovo da Barbie

Produtos exclusivos A gerente de uma loja de departamentos da cidade, Adrilaine Antunes, confirma que o preço veio majorado este ano e que os clientes ainda estão conferindo os produtos antes de se decidirem pela compra. “A maioria deixa para comprar faltando duas, ou uma semana para a Páscoa, para ganhar desconto, ou levam mais ovos de brinde”, revela. O maior ovo, de 760 gramas, custa R$ 79,90, o de 500 gramas, 39,99. “Esse ano veio o ovo de 250 gramas, por R$ 24,99”, exemplifica. Supermercadistas estimam de 8% a 10% de incremento “Este ano, a nossa pesquisa apontou que 79% dos supermercadistas comprarão o mesmo volume do ano passado e 20% comprarão menos. Em 2015, 70% disseram que comprariam mais e 23% que comprariam menos”, revela o vice-presidente da ACAS (Associação Catarinense dos Supermercadistas) para a região do Vale do Itajaí, Osnildo Maçaneiro. “As pessoas deixam para comprar na última semana. As redes estão começando a expor nos pontos de venda”, constata. A expectativa é ter incremento de vendas entre 8% e 10%, que corresponde ao que foi repassado da inflação do ano passado. “Não prevemos aumento considerável”, diz presidente da CDL “Nas datas festivas, o comércio sempre visa um incremento nas vendas, porém o momento em que o país está passando não há como prever um aumento considerável. Espera-se que pelo menos as vendas de Páscoa se mantenham igual a 2015”, declara o diretor executivo da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Jaraguá do Sul, Marcelo Nasato. Ele lembra que, além de chocolates, sempre há a expectativa para o consumo de produtos de outros segmentos. O presidente atesta que as vendas de Páscoa de 2015, comparadas com 2014, tiveram uma redução de 10%.
×