A Associação Empresarial de Corupá (Aciac), a Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) e a Prefeitura Municipal de Corupá oficializam nesta terça-feira, às 14h, a instalação do Núcleo de Desenvolvimento Regional de Corupá.

O projeto visa ações de curto, médio e longo prazo, com foco no setor industrial de Corupá, ampliando a capacidade de competitividade, transformando-o em destaque nacional e internacional.

A instalação do Polo é resultado do incentivo e empenho da empresária corupaense, Dayanne Flávia Pereira de Paula, diretora da Eletropoll. Ao conhecer o projeto, ela passou a ampliar o conhecimento sobre o seu conteúdo, através da troca de informações com o vice-presidente da Fiesc para a região, Célio Bayer, e ao mesmo tempo, incorporar a Aciac, na troca de ideias.

“O objetivo de todos os envolvidos, é promover a interligação entre o sistema produtivo industrial, o poder público e a entidade representativa, que, no nosso caso, é a Aciac, ligando estas interfaces e promovendo o desenvolvimento, através de treinamento que proporcione a capacitação dos nossos jovens para que eles permaneçam e atuem em Corupá. Com a união de forças, não tenho dúvidas que alcançaremos os objetivos de forma mais rápida”, pontuou.

Jefferson Galdino, Gerente Executivo Regional do Senai, explica que o trabalho começou com o levantamento dos principais segmentos industriais de Corupá e o próximo passo, será conhecer as demandas do setor. As informações serão levadas ao conselho estratégico que debaterão as ações necessárias.

Para a presidente da Aciac, Debora Tomelin, a instalação do núcleo é uma importante conquista do setor produtivo do município na busca de soluções aos desafios enfrentados. Ela cita, como exemplo, a dificuldade das empresas com a falta de mão de obra qualificada para suprir a demanda de vagas.

“A partir desta iniciativa e definidas as necessidades de cada seguimento, iremos debater, por exemplo, quais cursos são importantes na capacitação dos trabalhadores locais. Trata-se de um avanço na superação deste e de outros entraves da nossa economia”, destacou.