Desburocratização, reformas e obras estruturantes: estas devem ser as principais pautas para a economia a serem defendidas pelos dois deputados federais da região, Carlos Chiodini (MDB) e Fábio Schiochet (PSL), que assumem seus mandatos nesta sexta-feira (1º).

Ambos defendem que Santa Catarina precisa fortalecer sua presença na Câmara dos Deputados, e que as pautas com relação direta com a região do Vale do Itapocu - como a BR-280 e o contorno ferroviário - precisam de mais atenção.

"Especificamente para Santa Catarina, queremos defender a melhoria dos acessos, priorizando a duplicação da BR-280, que vai atrair mais empresas para o Vale do Itapocu e melhorar a logística para as indústrias já instaladas", destaca Chiodini

Antes deputado estadual e atuando como secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Carlos Chiodini defende ainda a inovação e o empreendedorismo como bandeiras importantes.

"Também defenderemos as micro e pequenas empresas (MPEs), que correspondem a mais de 90% da economia catarinense", pontua.

Segundo ele, o estado e a nação precisam fortalecer a economia, atraindo empresas de alto valor agregado e investindo em inovação para sermos mais competitivos no cenário mundial.

Do mesmo partido que o presidente Jair Messias Bolsonaro  e em seu primeiro mandato, o deputado Fábio Schiochet destaca que sua principal bandeira econômica vai ser a desburocratização, também citada por Chiodini como pauta importante.

"Temos um grande inchaço da máquina pública e uma burocracia muito grande sobre o empresário, o que atrapalha a vida do empreendedor, e esta questão vai ser a principal pauta econômica que vou defender em Brasília", conta.

Outra pauta prioritária para o parlamentar deve ser um velho problema da região: as longas obras da BR-280. "Esta é uma pedra no sapato do desenvolvimento econômico da região, e devo lutar para garantir a conclusão desta obra, se não em sua totalidade, ao menos na nossa região", diz.

No cenário nacional, Carlos Chiodini ainda ressalta que as reformas da Previdência e tributária "são importantes e vão impactar diretamente no crescimento econômico do país", um ajuste necessário para tirar as contas públicas do vermelho, ressalta o parlamentar. "Iremos votar no que for bom para a sociedade", finaliza.

Setor econômico espera reformas

A posse dos deputados, com dois representantes da região no Congresso, tem atraído a atenção do empresariado em Jaraguá do Sul. Para o presidente da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs), Anselmo Ramos, a expectativa é de uma movimentação para atender as demandas que o país precisa.

"Especialmente quanto a agenda de reformas urgentes como a da Previdência, que este governo já definiu como prioridade e vem demonstrando empenho nestes primeiros 30 dias com articulações importantes para que ela seja viabilizada".

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Jaraguá do Sul, Gabriel Seifert, espera que os parlamentares lutem pelas reformas do sistema com corte de privilégios, fazendo com que a máquina pública diminua.

"Esperamos ansiosos uma reforma da Previdência e uma tributária para desafogar a economia e a competitividade das empresas. Também almejamos que lutem para que a impunidade e a corrupção sejam extintas do nosso dia a dia", diz.

Para o economista César Corso, da Patrimônio Investimentos, uma parcela significativa dos deputados e senadores que entraram se elegeram com discurso de abertura da economia, redução do tamanho do estado e melhoria da segurança pública.

"Portanto, imaginamos que, se o governo conseguir se manter focado e enviar suas pautas de forma organizada e sem tentar atacar vários temas ao mesmo tempo, o êxito na aprovação pode ser alto", comenta.

Ele ressalta que a prioridade no momento devem ser as reformas econômicas. "Os estados estão em situação financeira muito precária e precisam ajudar o governo central a aprovar reformas para que os próprios governadores consigam exercer seus mandatos de forma adequada. Existem riscos pelo caminho, mas temos condições de supera-los", conclui.

O vice-presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) para o vale do Itapocu, Célio Bayer, afirma que há uma expectativa positiva do setor produtivo, de que a renovação no Congresso Nacional, assim como houve na Assembleia Legislativa.

Eles esperam que a mudança possa trazer uma aproximação maior dos parlamentares com os segmentos organizados que representam o meio empresarial, para que se conheça e se busque atender aos anseios das forças que movimentam a economia.

Esta melhor competitividade passaria por questões como a simplificação tributária e ao melhor acesso a financiamentos.

"O nível de confiança do empresário é muito acentuado, tem sido um dos mais elevados da história, o que traz uma perspectiva otimista quanto às ações que possam ser tomadas pelo Ministério da Economia no sentido de impulsionar recursos para setores estratégicos em áreas como a infraestrutura, por exemplo", nota.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?