Dia 29 deste mês começam os depósitos da nova liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Servio (FGTS), que havia sido anunciada em abril pelo Ministério da Economia.

A previsão é de que 60 milhões de pessoas tenham direito ao saque, sendo que muitas são “desbancarizadas”, ou seja, não possuem conta em nenhum banco. No total, cerca de R$ 37,8 bilhões serão transferidos.

Diferentemente do saque-imediato, que previa até R$ 998 por conta ativa ou inativa, o novo saque será limitado a R$ 1.045 por trabalhador, independentemente do número de contas que ele tenha.

Quem não fez o saque-imediato até 31 de março deste ano, perdeu o prazo. O dinheiro voltou para o FGTS, e o trabalhador não poderá acumular o direito antigo com o valor do novo saque.

Pela nova MP, o dinheiro do FGTS ficará disponível na conta até 30 de novembro. Caso não haja movimentação até essa data, os recursos voltam para o saldo do trabalhador no fundo.

Os depósitos começam em 29 de junho e seguem até 21 de setembro, de acordo com o mês de nascimento do beneficiário.

Para quem não tem conta na Caixa, o governo publicou neste sábado (13) uma medida provisória (MP) que autoriza a abertura automática de poupanças digitais da Caixa Econômica Federal para que todos os trabalhadores que possuem conta no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) recebam até R$ 1.045,00 de seu saldo disponível.

Contas digitais do tipo já vinham sendo utilizadas para o pagamento do auxílio emergencial relacional à pandemia do novo coronavírus, de R$ 600. Com a MP 982/2020, publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), o uso desse tipo de conta fica ampliado também para o saque do FGTS e o depósito de diversos benefícios sociais e emergenciais, inclusive pelos governos estaduais e municipais.

O saque está limitado até R$ 1.045 (um salário mínimo) por trabalhador. Ou seja, mesmo quem tenha um valor maior em conta, só poderá sacar até este limite. Já quem tem menos do que isso, poderá sacar o valor disponível em conta.

A MP diz que o novo saque fica disponível, aos titulares de conta vinculada do FGTS, a partir de 15 de junho até 31 de dezembro de 2020.

O processo envolverá dois calendários: um de crédito em conta e outro de saque. Ou seja, o valor cairá na conta do trabalhador durante certo período, mas ele só poderá sacar ou transferir o dinheiro em outra oportunidade.

O impedimento da transferência logo quando do envio do crédito visa evitar aglomerações de pessoa que repassavam o dinheiro para outras contas e iam retirá-lo.

Calendários do novo saque do FGTS

Calendário de crédito em conta

Mês de aniversário e dia do depósito

  • Janeiro - 29/06
  • Fevereiro - 06/07
  • Março - 13/07
  • Abril - 20/07
  • Maio - 27/07
  • Junho - 03/08
  • Julho - 10/08
  • Agosto - 24/08
  • Setembro - 31/08
  • Outubro - 08/09
  • Novembro - 14/09
  • Dezembro - 21/09

Calendário de saques

Mês de aniversário e dia da liberação

  • Janeiro - 25/07
  • Fevereiro - 08/08
  • Março - 22/08
  • Abril - 05/09
  • Maio - 19/09
  • Junho - 03/10
  • Julho - 17/10
  • Agosto - 17/10
  • Setembro - 31/10
  • Outubro - 31/10
  • Novembro - 14/11
  • Dezembro - 14/11

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul