Victor Danich é o diretor do JaraguaTec | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Victor Danich é o diretor do JaraguaTec | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Com quinze anos de atuação no ecossistema de inovação de Jaraguá do Sul, a incubadora tecnológica da Católica de Santa Catarina, o JaraguaTec, está dando um novo passo no começo de 2019: a universidade está formando uma nova pré-incubadora, o InovaCatólica, um "thinktank" para alunos empreendedores desenvolverem suas ideias antes de seguir para incubação no Centro de Inovação de Jaraguá do Sul, o NovaleHub.

Segundo o diretor do JaraguaTec, Victor Danich, o novo espaço, com espaço compartilhado para prototipagem, coworking e sala de reuniões, deve entrar em operações em janeiro.

"Será um espaço para o desenvolvimento de ideias, e dentro do qual, quando surgir um projeto interessante, será feita a orientação e o preparo para que sejam inscritos em editais do Centro de Inovação", explica.

Em paralelo, Danich explica que as empresas que estão sendo incubadas hoje no JaraguaTec receberão  orientação para que seja feita a migração para o NovaleHub conforme suas ideias forem se desenvolvendo.

A incubadora ainda está em discussão quanto a forma de integração dela com o Centro de Inovação. Até que este processo seja concluído, as empresas nascentes seguem sendo incubadas na Católica antes de seguirem ao mercado ou para aceleração.

"A incubação é um processo importante, pois oferece os meios para estas empresas se estabelecerem com baixo custo e baixo risco", frisa Danich.

Taxa de sobrevivência

Segundo levantamentos do Sebrae, empresas incubadas apresentam uma taxa de sobrevivência de 80%, índice três vezes maior do que o registrado pelas empresas comuns – cerca de 70% dos pequenos negócios criados no mercado fecham as portas nos três primeiros anos, uma taxa de sobrevivência de apenas 30%.

O diretor destaca a importância destes ambientes no ecossistema de inovação e do envolvimento da academia neste mercado.

"Não podemos desmerecer o meio acadêmico, mas o conhecimento gerado não pode se ater apenas ao acadêmico, precisamos levar isso ao mercado e compor a tripla hélice de governo, academia e empresas", diz.

Fundado em 2004, o JaraguaTec tem servido como local de desenvolvimento de ideias em Jaraguá do Sul, ressalta o professor.

De lá, saíram projetos inovadores sem precedentes na região, como os elevadores para usinas eólicas da Artama Metalmecânica - os primeiros do tipo a atenderem normas de segurança vigentes no Brasil e na União Europeia simultaneamente - e os projetos de robótica da RBR Robotics, uma das primeiras empresas de robótica industrial com desenvolvimento integral no país.

As duas empresas se graduaram da incubação no começo deste ano.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?