A Petrobras anunciou nova redução no preço do diesel nas refinarias em 10,4% e da gasolina em 3,1%. A combinação de queda no preço do petróleo e derivados entre o dia 14 de outubro e 8 de novembro, que chega a 12,1%, e a redução da participação da companhia nas vendas ao mercado interno, têm impactos sobre o nível de utilização dos ativos da Petrobras, especialmente no refino, sobre os níveis de estoques e também sobre os fluxos de importação e exportação. Essas variáveis justificaram uma correção maior nos preços do diesel que na gasolina. A metodologia definida pela Petrobras prevê a revisão dos preços cobrados nas refinarias pelo menos uma vez por mês após análise do comitê formado pelo presidente da companhia, o diretor de Refino e Gás Natural e o diretor Financeiro e de Relação com Investidores. Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, isso pode ou não se refletir no preço final ao consumidor. Vai depender, principalmente, das distribuidoras e dos postos de combustíveis. Se o ajuste for integralmente repassado, o diesel pode cair 6,6% ou cerca de R$ 0,20 por litro, e a gasolina 1,3% ou R$ 0,05 por litro.