O ministro do Turismo, o catarinense Vinicius Lummertz, anunciou neste domingo (22) em Porreta Terma, Itália, que pretende ampliar a divulgação do Brasil e Santa Catarina naquele país. O ministro destacou que a estratégia será focar em programações especiais como o festival "Tra Amici", que levou a Roma e cidades do Norte daquele país europeu, por duas semanas, eventos culturais e gastronômicos brasileiros, bem como oportunidades de negócios para investidores, tanto no turismo quanto em outras áreas. O ministro lembrou a forte influência da colonização italiana em regiões como o Sul, o Vale do Tijucas, Meio-oeste e Oeste catarinenses e afirmou que “essa identificação vai ajudar muito a atrair os italianos para o Estado”.

Além de contribuir para alavancar uma esperada retomada de um fluxo mais relevante de turistas italianos em direção ao Brasil, Lummertz acredita que esse tipo de ação desperta um interesse maior da população dos dois países em relação ao outro, promovendo uma maior integração e melhor entendimento das duas culturas.

O ministro considerou que o festival deste ano foi extremamente positivo e garantiu sua realização em 2019, com ainda mais atrações. Adiantou ainda que contatou, junto com o embaixador do Brasil na Itália, Antonio Patriota, o sociólogo Domenico de Masi para se juntar ao grupo criativo que organiza o evento.

O festival é uma iniciativa conjunta do ministério do Turismo, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Ministério da Defesa, Itamaraty e Embratur, para divulgar a cultura brasileira e incentivar o turismo, aproveitando a data que marcou a passagem das tropas brasileiras por terras italianas na Segunda Guerra Mundial, em 1945, quando 25 mil soldados brasileiros libertaram o Norte da Itália da ocupação nazista.

Homenagem aos soldados brasileiros mortos em solo italiano na 2ª Guerra Mundial | Foto Ministério do Turismo/Divulgação/OCP

Nessa primeira edição, o Tra Amici levou para o ambiente da Embaixada do Brasil em Roma um estande da Embratur, onde houve rodada de negócios entre operadores e agentes de viagens e foi feita capacitação para profissionais de turismo italianos.

Ainda na embaixada, houve apresentações de grupo de chorinho, capoeira e uma mostra gastronômica. Houve ainda apresentações da camerata da Orquestra do Teatro Nacional de Brasília, tanto em Roma quanto nas cidades de Pistoia e Porreta Terma, onde tradicionalmente se comemora o Dia da Libertação (25), quando os italianos homenageiam os soldados brasileiros que lutaram na Segunda Guerra Mundial.

Homenagem aos soldados brasileiros em Porreta Terma neste domingo | Foto Ministério do Turismo/Divulgação/OCP

Uma missa na Catedral de Pistoia também integrou a programação, bem como uma cerimônia no monumento aos soldados brasileiros, na mesma cidade. Em Porreta Terma, onde se concentrava o comando das operações brasileiras durante a guerra, foi inaugurado, com a presença do prefeito da cidade, Giuseppe Nanni, o busto, em bronze, do general Mascarenhas de Morais, comandante das tropas brasileiras.

Entusiasmado com a participação da população local e com o carinho dos italianos com os brasileiros, o ministro Lummertz propôs a formação de um grupo de trabalho envolvendo italianos e brasileiros para desenvolver programas de atração de turistas interessados em conhecer melhor a história da guerra, que acabou unindo os dois países.

“Vamos propor à Braztoa, entidade que reúne os operadores de turismo, que estude as possibilidades, enviando equipes para conhecer melhor esse produto. Faremos também a recepção aos italianos que quiserem conhecer melhor os novos produtos turísticos que o Brasil oferte. Vamos envolver as associações de ex-combatentes dos dois países, para buscar um fluxo de pessoas interessadas nesse turismo cívico. Acredito que, além de buscar mais recursos, estaremos mostrando a nossa capacidade de receber com carinho e atenção os turistas que nos procuram”, ponderou o ministro.

Ele acredita ainda que com as mudanças estruturais que vão ocorrer no turismo brasileiro num curto espaço de tempo, haverá um crescimento acelerado no volume de turistas estrangeiros que virão ao Brasil, além de reafirmar sua expectativa que o turismo interno continuará crescendo.

 "Claro que queremos melhores números no fluxo de italianos. Em 2012, recebemos mais de 200 mil. Em 2017, foram 170 mil. Vamos reverter isso. Com a aprovação, pelo Congresso, de projetos como o que prevê a possibilidade de abertura para estrangeiros do capital das companhias aéreas, o da transformação da Embratur em serviço social autônomo e o que moderniza a Lei Geral de Turismo, teremos mais conectividade e voos mais baratos. Isso vai impactar não só nos números relativos aos italianos, mas também em relação aos turistas de outros países", prevê o ministro.

Os eventos ligados ao Tra Amici foram acompanhados também pelo ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Sergio Etchegoyen, pelo ministro da Defesa, general Silva e Luna, pelo embaixador Antônio Patriota, pelo comandante do Exército na região Sudeste, general João Camilo Pires de Campos e pelo diretor de Inteligência Competitiva da Embratur, Gilson Lira.

*Com informações da assessoria de imprensa do Ministério do Turismo