Cinco projetos da microrregião foram selecionados para a primeira etapa do programa Avançar Cidades, do governo federal. Juntos, quatro municípios buscam cerca de R$ 55,5 milhões para executar projetos de infraestrutura. Realizada por meio do Ministério das Cidades, a iniciativa tem como objetivo promover a melhoria da mobilidade urbana no país fornecendo recursos públicos com condições de financiamento facilitadas. Dentre os cinco projetos inscritos pelas prefeituras da microrregião, dois estão em Guaramirim, com ações voltadas à revitalização do Centro e da Estrada Bananal. Além disso, também apresentaram propostas os municípios de Jaraguá do Sul, Massaranduba e Schroeder. Os recursos disponibilizados pelo Avançar Cidades são oriundos do FGTS e concedido por meio de financiamento. Dentre as condições de pagamento está um prazo de carência de 48 meses e prazo de amortização de até 20 anos. Ao todo, 113 municípios catarinenses foram pré-selecionados nesta categoria do programa. Superada a etapa de pré-seleção, as prefeituras precisarão agora passar por uma avaliação financeira e análise técnica dos projetos para garantir que todas as propostas estejam de acordo com as diretrizes estipuladas pelo programa. Guaramirim aguarda análise técnica para liberação de R$ 15,6 milhões Em Guaramirim, a aprovação na primeira etapa do programa foi comemorada pela equipe do prefeito Luís Chiodini. Com dois projetos inscritos do programa, o município espera angaria cerca de R$ 15,6 milhões para a execução de dois projetos de grande impacto social: a reurbanização da Estrada Bananal e da região central do município; e a construção de uma ciclovia que deve atravessar quase todo a área urbana da cidade. De acordo com o secretário de Planejamento e Urbanismo de Guaramirim, Jiuvani Assing, a análise financeira do município já foi aprovada e esta semana o poder público deve apresentar os projetos técnicos junto à Caixa Econômica Federal para avaliação. “Guaramirim está bastante adiantada no processo. Estamos otimistas e a expectativa é de que entre fevereiro e março tenhamos a assinatura para liberação dos recursos”, afirma o secretário. Até lá o Ministério das Cidades deverá publicar uma nova listagem os municípios aptos para receber os recursos. “É um passo importante para a cidade, principalmente para o desenvolvimento urbano e sócio-econômico do município. Novos investimentos são parte primordial, melhorias em localidades como o Bananal do Sul são promessa política que vem se enrolando por anos. Diante do crescimento dessas localidades, os investimentos vêm para trazer uma nova cara para a cidade, mais humanizada”, aponta Assing. Para o prefeito Luís Chiodini, a conquista é um reflexo da gestão integrada entre o executivo e o legislativo, postura que, segundo ele, fortalece o município e possibilita novos avanços. “Temos que recuperar os atrasos em mobilidade e isso só é possível com projetos de peso. O contato com Brasília foi fundamental”, comenta o prefeito. “A equipe trabalhou nestes projetos de forma intensa, desde o levantamento topográfico até as reuniões com os parlamentares, levamos inclusive o engenheiro e o arquiteto responsáveis para Brasília para que eles pudessem voltar sabendo a fundo o que tinham que fazer”, destaca. Se aprovados nas próximas etapas do Avançar Cidades, os projetos criados pela atual gestão devem beneficiar também localidades da área rural do município, já que o calçamento retirado das ruas centrais será reaproveitado em outras vias, aponta Chiodini. Estruturação das vias urbanas é prioridade nos municípios da região Nos demais municípios da microrregião, o foco principal dos projetos está na estruturação e pavimentação de vias urbanas. No caso de Jaraguá do Sul, a Prefeitura busca angariar R$ 30 milhões para efetuar um conjunto de ações nas áreas de mobilidade, acessibilidade e transporte coletivo, explica o diretor de gestão de projetos e captação de recursos, Domingos Zancanaro. Com os projetos em fase de elaboração, o poder público cogita a possibilidade de realizar, por exemplo, uma remodelação do terminal urbano, assim como a implantação de passeios públicos e ciclovias para melhorar a mobilidade de pedestres e ciclistas. “Ainda temos um trâmite legal bastante extenso, e este já é o quarto passo que fazemos. É um trabalho amplo da administração no sentido de fazer o município alcançar as melhorias necessárias para o crescimento econômico da cidade. Se tudo correr bem, a previsão é que as obras comecem no segundo semestre do ano que vem”, informa Zancanaro. Em Massaranduba, o poder público espera conseguir R$ 4,9 milhões em recursos para realizar melhorias em seis vias centrais do município, entre elas as ruas Francisco Gramonski, Sete de Setembro e Eugênio Klein. “O projeto prevê a pavimentação, sinalização, construção de calçadas, iluminação pública, ciclovias e até mesmo rede de água. São 2,2 quilômetros de ruas contempladas”, destaca o secretário de Planejamento e Meio Ambiente, Fabiano Spezia. A ação é o primeiro passo para a realização de um projeto mais amplo, que prevê a construção de 10 quilômetros de ciclovia no próximo ano. Já em Schroeder, o objetivo é captar cerca de R$ 5 milhões que, segundo o secretário Elmer Sandro Quadros, serão utilizados para a pavimentação. “Ainda não definimos bem ao certo quais serão as vias, estamos fazendo uma análise técnica para verificar onde está a maior demanda. Estamos confiantes de que conseguiremos o recurso”, ressalta Quadros, que está à frente da pasta de Planejamento, Gestão e Finança do município.