As projeções do mercado financeiro acenderam o alerta para a inflação: os especialistas consultados pelo Boletim Focus do Banco Central apontaram uma expectativa de inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 6,07% neste ano, passando da marca dos 6%.

A projeção ficou muito acima do teto da meta oficial, de 3,75% com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. Na semana passada, a projeção era de 5,97%.

Para 2022, a projeção teve leve recuo, de 0,01 ponto percentual, a 3,77%, contra meta de 3,50% também com margem de 1,5 ponto.

Com a inflação elevada, os economistas passaram a ver a taxa básica de juros em 6,75% no ano que vem, de 6,50% esperados antes. Para este ano permaneceu o cenário de Selic a 6,50%.

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), houve melhora na estimativa de crescimento para este ano, com a expansão calculada em 5,18%, contra os 5,05% da última semana.

Para o ano que vem também houve ajuste de 0,01 ponto percentual para baixo, a um crescimento esperado de 2,10%.