Pelo terceiro mês consecutivo, Jaraguá do Sul tem saldo positivo na geração de empregos segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia, divulgados na última semana.

Segundo o levantamento, agora em março foram registradas 2.798 admissões, contra 1.241 desligamentos. Apesar dos decréscimos de 52% do que mês anterior quanto a novos postos de trabalho, o Caged também mostra estabilidade com leve queda no índice de demissões no mesmo período, 11,5%.

Segundo o coordenador do Sistema Integrado Nacional de Emprego (Sine) no Município, Douglas Venturi, os novos números do Caged refletem o comportamento geral dos setores industrial, comercial e de serviços no País.

“Aqui no que se refere à divulgação de vagas não houve interrupção. O mercado continua aquecido. Temos bastante vagas na área têxtil como costureira, por exemplo. Temos ofertas de trabalho ainda na áreas de construção civil, metalúrgica e na área de serviços como vendedor externo de produtos”, destacou Venturi.

Douglas lembra que é importante os candidatos buscarem se qualificar, porque hoje os empregadores tem aumentado o nível de conhecimento para ocupar as vagas.

"A pessoa, de repente, não precisa ter experiência na função, mas é necessário que tenha feito um curso para a função em qual pretende trabalhar”, sugere.

Hoje o Município ocupa a 5ª posição no ranking do Caged atrás somente de Joinville, Blumenau, São José e Itajaí. De uma forma geral, Santa Catarina registrou uma ampliação de 86,8 mil postos formais de trabalho no primeiro trimestre de 2021.

O resultado é o maior saldo de empregos para os três primeiros meses do ano em toda a série histórica, iniciada em 2004.

“Analiso como extremamente positivo, Jaraguá do Sul, estar entre os cinco melhores de um Estado com 295 Municípios. Trata-se de uma cidade pioneira, com forte economia e consequentemente maior número de admissões”, ponderou o diretor do Sine.

Resultados positivos

De acordo com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável do Governo do Estado (SDE) em março, com exceção da agropecuária, todos os demais grandes grupos de atividade econômica apresentaram resultados positivos na geração de empregos formais em Santa Catarina.

O maior crescimento ocorreu na atividade de serviços, com um saldo de 9.267 novos postos, seguido de perto pela indústria (9.063). Já em termos de variação sobre o estoque de empregos, a maior expansão relativa se deu na construção (1,29%).

Nas seções dos serviços, as maiores contribuições vieram das atividades administrativas e serviços complementares, transporte, armazenamento e correio e saúde humana e serviços sociais.

Já nas Indústrias de transformação, as divisões de atividades com os maiores resultados ocorreram na confecção de artigos do vestuário e acessórios, fabricação de produtos de madeira e fabricação de produtos alimentícios.