Um menino de 12 anos, morador de Londres, no Reino Unido, ganhou cerca de 290 mil libras (aproximadamente R$ 2 milhões) durante as férias escolares, depois de criar uma série de obras de arte pixeladas chamadas Weird Whales e vender como NFTs ("token não fungível", em tradução livre).

Com os NFTs, uma obra de arte pode ser "tokenizada" para criar um certificado digital de propriedade que pode ser comprado e vendido. As informações são da BBC.

Eles geralmente não fornecem ao comprador a obra de arte propriamente dita ou seus direitos autorais.

Benyamin Ahmed está mantendo seus ganhos na forma de Ethereum — a criptomoeda em que foram vendidos. Isso significa que o valor pode aumentar ou diminuir — e não há respaldo das autoridades se a carteira digital em que ele guarda o montante for hackeada ou comprometida.

Weird Whales é a segunda coleção de arte digital de Benyamin, lançada na sequência de uma coleção anterior inspirada no videogame Minecraft que vendeu menos.

Desta vez, ele se inspirou em uma imagem bem conhecida de um meme de baleia pixelada e em um estilo popular de arte digital — mas usou seu próprio programa para criar a coleção de 3.350 baleias do tipo emoji.

Benyamin já está trabalhando em sua terceira coleção, agora com o tema de super-heróis.

O mundo da arte está dividido, no entanto, sobre a moda dos NFTs. Os artistas dizem que eles são uma fonte adicional de receita útil. E há vários casos de vendas incrivelmente altas.

Mas também há ceticismo sobre até que ponto os NFTs são um investimento realista de longo prazo. Charles Allsopp, ex-leiloeiro da renomada casa de leilões Christie's, disse à BBC News que comprá-los "não faz sentido".

"A ideia de comprar algo que não está lá é simplesmente estranha", afirmou ele no início deste ano. "As pessoas que investem nisso são ingênuas — mas espero que não percam seu dinheiro."