Aliado histórico do PT, o ex-ministro da Economia Henrique Meirelles expressou pessimismo quanto ao rumo das contas públicas no terceiro mandado do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em evento fechado promovido pelo BTG Pactual, Meirelles disse que há 65% de chances do governo de Lula ser mais parecido com o da ex-presidente Dilma - marcado por perda de credibilidade e descontrole fiscal - do que com o primeiro mandato do próprio Lula, marcado à época por responsabilidade e disciplina nas contas públicas.

As informações são do Valor Econômico.

Meirelles, que foi presidente do Banco Central (BC) durante os oito anos do governo Lula, declarou voto no presidente eleito ainda no primeiro turno deste ano e vinha sendo especulado como um dos principais nomes para assumir o Ministério da Fazenda, encerrou a sua fala desejando aos participantes “boa sorte”.

O posicionamento de Meirelles veio poucas horas depois do discurso feito por Lula em Brasília, em que criticou as regras de responsabilidade fiscal - e que repercutiu mal diante do mercado.

Também pesou o momento em que as declarações foram feitas, em um período em que o mercado busca entender como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Transição será financiada.

No entanto, Meirelles disse que é “muito cedo” para projetar como será o governo eleito. Segundo ele, é preciso esperar “as próximas sinalizações” de Lula, como a escolha da equipe econômica, antes de dar um parecer mais confiável.