O potencial de Corupá para a produção de banana foi reconhecido por uma empresa multinacional. O município recebeu nos últimos dois dias representantes internacionais da empresa Fyffes. Os três profissionais visitaram algumas áreas de cultivo, produtores e estabelecimentos comerciais ligados à bananicultura. A Fyffes é uma empresa irlandesa fundada em 1888. A companhia é a maior importadora de bananas do mundo e o principal comerciante da fruta de cultivo orgânico. Ela também se destaca na venda mundial de abacaxi e melão. De acordo com a diretora executiva da Asbanco (Associação dos Bananicultores de Corupá), Eliane Muller, a empresa veio para Corupá através do convite de um fornecedor brasileiro para conhecer a região. O fato de o município conter a Indicação Geográfica (IG) de banana mais doce do Brasil teria chamado a atenção da companhia. Eliane destaca que esta é a primeira vez que Corupá recebe a visita de uma multinacional. “É uma grande conquista para nós despertar a curiosidade de consumidores internacionais. Ainda temos um longo caminho a percorrer para exportar a nossa banana além da América do Sul, principalmente pela falta de tecnologia para o transporte, mas nos sentimos honrados pelo avanço”, avalia a diretora. Segundo Eliane, para se tornar competitiva na Europa, a produção de Corupá ainda precisa aperfeiçoar a estética da fruta. O fornecedor Edson Brok, de Fortaleza, no Ceará, foi o responsável por apresentar a cidade aos representantes da Fyffes. Para ele, os grandes diferenciais da banana corupaense são a doçura da fruta e o modelo de agricultura familiar aplicado no cultivo, questões estas apontadas como positivas pelos empresários nesta primeira visita à cidade. “As possibilidades de parceria por aqui são grandes”, aponta o fornecedor. O representante da empresa na América Central e do Sul, Alasdair Macleod, afirma que Corupá tem capacidade para se firmar no mercado bananeiro mundial, tanto pela qualidade da fruta quanto pelo aproveitamento comercial dela, com produção de alimentos derivados, joias, artesanato e outros itens. “Assim como o Brasil é reconhecido internacionalmente pelo café, Corupá pode ser pela banana. O município conta com profissionais capacitados para promover esta expansão e já é comentado em outros países”, destaca Macleod. Além de experimentar a fruta in natura, os empresários provaram alguns produtos feitos à base de banana, como chips, desidratada e com chocolate. “O gosto é excelente”, afirmou Macleod.  

“Assim como o Brasil é reconhecido internacionalmente pelo café, Corupá pode ser pela banana. O município conta com profissionais capacitados para promover esta expansão e já é comentado em outros países”.

Alasdair Macleod, representante da Fyffes