O mercado externo e a venda de aerogeradores puxaram o crescimento da WEG no ano passado. O lucro líquido da empresa aumentou 21,1% em 2015 na comparação com o ano anterior, atingindo R$ 383,916 milhões. A receita líquida de vendas avançou 24,5% no período e resultou em R$ 2,734 bilhões. Os resultados foram divulgados nesta quarta-feira (24). No quarto trimestre de 2015, 61% do faturamento veio do mercado externo, revelando a política de expansão da companhia e os efeitos da desvalorização do real. O mercado de geração, transmissão e distribuição de energia (GTD) aumentou a participação de 21,4% para 32% nos negócios da empresa em um ano. O destaque é a energia eólica. “Temos explorado alternativas no mercado externo para manter a carteira de pedidos em níveis adequados para os próximos períodos, uma vez que no Brasil a baixa atividade econômica e a queda na demanda por energia têm diminuído a demanda por investimentos em expansão e gerando o adiamento dos investimentos em manutenção. As operações fabris no exterior têm mostrado bom desempenho, com destaque para o México”, disse a empresa, em comunicado. Os investimentos se destacaram nas novas unidades produtoras de motores elétricos no México e na China. Em 2015, a companhia investiu R$ 468,1 milhões, sendo 43% destinados aos parques industriais e demais instalações no Brasil e 57% destinados às unidades produtivas e demais subsidiárias no exterior. Para este ano, o grupo programa investir R$ 477 milhões, repetindo a concentração maior fora do país. A empresa também comunicou ontem que as ações da WEG foram selecionadas para compor o Ibovespa, o mais relevante índice de ações do mercado brasileiro. A distribuição dos resultados de 2015 aos colaboradores totalizará um montante de R$ 159 milhões, um aumento de 17,69% em relação ao ano anterior, segundo o diretor superintendente administrativo financeiro da empresa, André Luís Rodrigues. Parte disso (R$ 57 milhões) foi antecipado em agosto e o restante será repassado em meados de março.