indústria de Santa Catarina liderou a geração de postos de trabalho em janeiro, com a abertura de 23,4 mil vagas (somando indústria geral e construção civil). Isso representa 73% do total das contratações feitas pelo mercado de trabalho catarinense (32.077 vagas), mostram os dados do Novo Caged. Foi o segundo melhor resultado do país, atrás apenas de São Paulo.

Entre os segmentos que mais abriram vagas estão: têxtil, confecções e calçados (7.416 vagas), construção (3.533 vagas), madeira e móveis (2.817 vagas), produtos químicos e plásticos (1.419 vagas), alimentos e bebidas (1.369 vagas), máquinas e equipamentos (1.365 vagas), metalmecânica e metalurgia (1.305 vagas), automotiva (1.018) e cerâmica (704).

“O resultado de janeiro nos mostra a importância e a força da indústria na recuperação da nossa economia em linha com pesquisa que acaba de ser divulgada pela CNI evidenciando o reconhecimento da população do valor da indústria. É importante destacar que todos os 19 setores analisados pelo Caged abriram postos de trabalho. Evidentemente que algumas atividades contrataram mais, como têxtil e construção, por exemplo, que são intensivas em mão de obra, mas, o desempenho foi positivo em todos os segmentos pesquisados”, avalia o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar.

Ele acrescenta também que na mesma direção dos dados do Caged, a taxa de desocupação de Santa Catarina, medida pelo IBGE, é de 5,3%, a menor do país. Aguiar destaca, contudo, que o momento exige cautela por conta do agravamento da pandemia.

Uma pesquisa da CNI revela que nove em cada dez brasileiros concordam totalmente ou em parte que ter uma indústria forte deve ser prioridade para o país. E outro dado aponta a mesma conclusão: para 84% dos entrevistados, “ter uma indústria fraca é ruim para a população do país”.

Foram ouvidas 2002 pessoas, entre 5 e 8 de dezembro de 2020. A percepção de 97% da população é que, para a economia do Brasil crescer, é necessário que a indústria também cresça e 94% concordam totalmente ou em parte que o Brasil precisa investir mais em sua indústria.

Praticamente a totalidade dos brasileiros considera a indústria importante para o desenvolvimento econômico.

Entre os entrevistados, 98% acreditam que a indústria é importante ou muito importante para a criação de empregos, 96% acreditam que a indústria é importante para o crescimento econômico, 95% para a melhoria do padrão de vida e 93% para a inovação.

A indústria foi eleita pela população, em conjunto com a agropecuária, como os setores mais importantes para o crescimento econômico do Brasil.

A indústria foi escolhida como o setor mais importante por 24% dos brasileiros, enquanto a agricultura foi mencionada por 22%.

Oito em cada 10 brasileiros concordam totalmente ou em parte com a afirmativa: “eu encorajaria meu filho (a) a buscar uma carreira na indústria”.

Esse dado é seis pontos percentuais superior às respostas da pesquisa anterior feita em 2014, quando 74% responderam positivamente à essa pergunta.