O porto de São Francisco do Sul está sob nova administração, a cargo do jaraguaense Diego Machado Enke, que já havia assumido em março a diretoria administrativa e financeira do porto, e este mês assumiu a função de diretor-presidente.

"Estar a frente de uma empresa com o potencial do Porto de São Francisco do Sul, e de suma importância para a economia francisquense e catarinense, é um desafio que assumo com muita responsabilidade. Vou continuar colocando em prática todo meu conhecimento", comenta o novo diretor-presidente do porto.

Em 2018, o porto se consolidou como o maior em movimentação de cargas em Santa Catarina.

Considerado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), o sexto em qualidade ambiental dentre os portos públicos do país e o sétimo maior do Brasil em volume de carga geral.

Foto
Foto Divulgação

Além disso, é responsável por 6% da exportação da soja do Brasil. Também atua como via de escoamento para as mercadorias exportadas de Jaraguá do Sul e região - sendo de suma importância para a região do Vale do Itapocu, mesmo não fazendo parte dela.

"É uma honra saber que o governador me confiou mais esta atribuição. É um ato de confiança e estou muito grato", diz Enke, que frisa que os desafios adiante são o que o movem na gestão portuária.

A gestão mantém a continuidade de seu trabalho como diretor administrativo e financeiro.

"Quando assumi em março a diretoria administrativa e financeira do porto e criamos um planejamento estratégico de investimentos, priorizamos algumas obras e revisamos alguns contratos com grandes reduções na casa de quase R$ 5 milhões para os próximos anos de economia e cobramos uma dívida de R$ 4 milhões que estava em aberto de um cliente e hoje o financeiro não tem 1 real de débitos na pasta financeira", diz.

Entre estas prioridades estavam o lançamento do edital da dragagem de manutenção, para retomar os 14 metros de profundidade dos berços.

Foto Divulgação

Outros projetos que tem prioridade e já estão encaminhados para o futuro incluem a conclusão da obra de um novo "gate", com três novas balanças rodoviárias, a dragagem e manutenção dos canais e um novo projeto de sinalização náutica.

Investimentos no porto

A médio e longo prazo, Enke prevê investimentos de mais de R$ 310 milhões no porto, entre obras do estado e do governo federal, além de investimentos privados em novos empreendimentos na ordem de R$ 4,3 bilhões. Entre os investimentos previstos está a aquisição de novos shiploaders, na ordem de R$ 80 milhões.

"O intuito é aumentar a capacidade de movimentação de 2 mil ton/hora cada shiploader. Já foram iniciados os procedimentos administrativos para aquisição - o prazo de entrega é de 18 a 24 meses após a conclusão da compra", explica.

Outra meta é aumentar a profundidade dos canais de acesso do porto, para a cota de 16 metros, contra os atuais 14. Para esta obra estão previstos R$ 230 milhões do governo federal.