Jaraguá do Sul fecha janeiro com saldo de 667 novos empregos

Foto: Julio Cavalheiro/ Secom

Por: Pedro Leal

20/03/2024 - 16:03 - Atualizada em: 20/03/2024 - 16:33

Em janeiro, a região norte-nordeste catarinense registrou aumento nas contratações, de acordo com dados no novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

Segundo o levantamento, houve 29.079 admissões e 24.512 demissões, resultando em um saldo positivo de 4.567 empregos formais ao final do período e uma diferença positiva de 18,63%. A região registrou no mês anterior (dezembro de 2023) 15.615 contratações, 22.659 demissões e saldo negativo de 7.044 empregos formais.

As cidades com maior número de contratações foram Joinville (15.127), Jaraguá do Sul (3.413) e Araquari (1.155). Os três municípios também foram os que mais demitiram, com 12.829, 2.746 e 959 demissões, respectivamente.

Dos contratados no período, 52,52% eram homens e 47,48% mulheres, a maior parte (59,35%) tinha ensino médio completo e idades entre 18 e 24 anos (31,06%). O setor que mais contratou foi o da indústria.

Os municípios da região incluem: Araquari, Joinville, Balneário Barra do Sul, Barra Velha, Bela Vista do Toldo, Campo Alegre, Canoinhas, Corupá, Garuva, Guaramirim, Irineópolis, Itaiópolis, Itapoá, Jaraguá do Sul, Mafra, Major Vieira, Massaranduba, Monte Castelo, Papanduva, Porto União, Rio Negrinho, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, São João do Itaperiú, Schroeder e Três Barras.

Trabalho temporário

Em janeiro, o Brasil registrou 81.102 admissões de trabalhadores temporários. Orlando Leier, gerente regional da Employer Recursos Humanos em Jaraguá do Sul, explica que a contratação de trabalhadores temporários é vantajosa para as corporações.

“Contratar trabalhadores temporários pode ser vantajoso para lidar com picos sazonais de demanda, reduzir custos de treinamento e flexibilizar a força de trabalho conforme necessário”, diz.

Segundo dados da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) estima-se que 22% dos trabalhadores temporários sejam efetivados, superando os 20% registrados no ano anterior. Marcelo de Abreu, vice-presidente da Employer Recursos Humanos e diretor de Desenvolvimento Estratégico da Asserttem (Associação Brasileira de Trabalho Temporário), destaca que o trabalho temporário pode ser um aliado para aqueles que buscam realizar essas mudanças.

“Essa modalidade é uma porta de entrada para profissionais em busca de novos mercados ou para aqueles que desejam retomar suas carreiras”, afirma Abreu. Ele acrescenta que, dependendo do desempenho do profissional, há a possibilidade de efetivação em uma nova posição.