Uma evolução tecnológica que irá impactar diretamente na vida dos brasileiros terá em Jaraguá do Sul um dos seus pontos de partida no país. As primeiras antenas para a efetivação da Rede 5G no município serão instaladas nas proximidades do Centro de Inovação, no bairro Três do Sul no próximo mês.

“Será nosso projeto-piloto desta tecnologia no Município” adiantou o Diretor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Thiago Sarmanho.

No fim de 2021, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Ministério das Comunicações (MCom) lançaram o projeto Conecta 5G, que permitirá a implementação de redes inteligentes de 5G em municípios brasileiros. Inicialmente, uma capital e quatro municípios serão contemplados com a tecnologia: Curitiba (PR); Ceará-Mirim (RN), Petrolina (PE), Araguaína (TO) e Jaraguá do Sul, única cidade de Santa Catarina incluída no projeto. Nesta primeira fase, o Conecta 5G terá a duração de 36 meses e recursos da ordem de R$ 10,3 milhões, sendo R$ 10 milhões da ABDI e o restante de contrapartida.

A primeira etapa do cronograma da vinda do 5G para Jaraguá do Sul foi aprovar a Lei 8947/2021, denominada “Lei das Antenas", que revisou uma legislação de 2020 com a inclusão da estrutura necessária para a implantação do novo sistema. A nova lei prevê, entre outros fatores, o licenciamento da infraestrutura de suporte que são as torres onde serão fixadas as bases de conexão 5G que serão instaladas em postes de iluminação pública ou no topo de edifícios, por exemplo.

Segundo Sarmanho, essa adaptação de infraestrutura é necessária. “A tecnologia 5G é até 100 vezes mais rápida que o 4G, e ainda permite que mais dispositivos estejam conectados na mesma rede ao mesmo tempo, porém o alcance dele é menor. No 5G você precisa ter antenas muito próximas. A tendência é que essas antenas fiquem nos postes de iluminação pública, pois o alcance ideal é no máximo 200 metros.”

Para o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação da Prefeitura de Jaraguá do Sul, Daniel Arruda, o primeiro impacto da entrada da tecnologia 5G será nas indústrias do município, que poderão otimizar seus processos produtivos, tornando-as mais competitivas no mercado. “Outro enfoque importante é na atração de novas empresas de alta tecnologia e demais atividades para Jaraguá do Sul, potencializando ainda mais o setor industrial que já é muito forte e que conta inclusive com multinacionais”, apontou.

Já para o prefeito municipal, Jair Franzner, o fato da cidade ter sido escolhida evidencia seu perfil empreendedor.

“Jaraguá do Sul é diferente. A chegada da nova tecnologia de conexão móvel 5G, antes de outras importantes cidades brasileiras demonstra isso. Graças a empresas como a WEG, que é uma das pioneiras a testar esse sistema, a inovação vai se expandir para toda a população, oferecendo mais rapidez nas conexões de internet”, ponderou Franzner. “Estamos nos preparando para extrair o melhor do 5G para melhorar ainda mais os serviços aos munícipes, como é o caso dos semáforos inteligentes, o sistema de ensino às nossas crianças, os serviços de saúde, o gerenciamento de obras e tantos outros que hoje já estão de uma maneira ou outra conectados e terão melhoria significativa”, concluiu.

Limpeza de sinal

O fato das bases de transmissão do 5G serem em locais mais baixos evita interferência de edificações e de outros obstáculos. No entanto, afirmam especialistas da área, antes da instalação do novo sistema é necessário que se faça o procedimento conhecido como “limpeza do espectro do sinal”. Isto porque a faixa de 3,5GHz, usada pelo 5G, também é utilizada para transmissão do sinal da TV parabólica.

Segundo orientação da própria Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A limpeza é necessária para não prejudicar quem assiste TV aberta e gratuita por meio dessa tecnologia de radiodifusão. “A gente recebeu um cronograma da Anatel apontando que as cidades com mais de 100 mil habitantes terão liberação da faixa de 3,5 GHz para instalação do 5G a partir de 30 de junho de 2024”, destaca o presidente do Comitê Inova Jaraguá, Gustavo Pacher.

Para não haver interferência, o sinal das parabólicas será transferido para outra faixa de frequência, e a faixa de 3,5 GHz será usada somente para o 5G. Pacher destaca que um sistema de “filtro” será disponibilizado para a população tal qual aconteceu com o caso do conversor do sinal analógico para o digital nas TVs, mas agora em relação ao 5G.

“Já encaminhamos inclusive a relação de famílias carentes cadastradas no Município para que a Anatel disponibilize esse equipamento para este público. Neste sentido, também já conversamos com a Associação Empresarial (Acijs) e a entidade já se colocou à disposição para contribuir se necessário for, bem como com a própria Unifique, responsável pela implantação do 5G aqui na região Sul. O objetivo desses contatos com Acijs, Anatel e com GAISPI (Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz) é acelerar acelerar esse processo.”

Evolução e revolução

Para o presidente do Comitê Inova Jaraguá, Gustavo Pacher, a chegada da tecnologia 5G trará mudanças profundas. “Estamos vivendo uma evolução da Internet. Alguns inclusive já estão falando de revolução porque ela vai mudar drasticamente a forma como consumimos a internet e o serviço que ela vai trazer em função disso.”

Mais que uma internet rápida, o 5G traz outras vantagens e possibilidades que hoje simplesmente não existem.

“Como por exemplo toda a parte de IoT que é a Internet das coisas. Com muito menos gasto de energia e com muito maior efetividade nós teremos tudo conectado. Não é para que o usuário final lá na ponta possa ter um Netflix mais rápido. Isto seria muito pouco. Nós vivemos numa cidade com preponderância de atividade industrial e a 5G hoje vai permitir que esses estabelecimentos possam revolucionar o seu parque fabril com a instalação de sensores, maior agilidade de produção, negócios e inovações que hoje não existem”, observou Pacher.

Entre outros fatores, Pacher também ilustra que a nova tecnologia vai permitir também que uma pessoa, por exemplo, ao entrar num elevador de um prédio qualquer da cidade, ela será reconhecida pelo próprio equipamento e em função do seu perfil de consumo, o próprio elevador vai disponibilizar publicidade direcionada aos gostos do cliente. “Algo muito próximo do que a gente via quando criança nos desenhos futuristas como os Jetsons. Outro exemplo: sua geladeira vai lhe avisar que falta leite e vai colocar isso na tua lista de compras e, se você quiser, o sistema já vai mandar comprar e trazer na sua casa. É nesse nível de sofisticação e conectividade que chegaremos”, projetou o presidente do Inova.

Serviços públicos

Gustavo Pacher destaca ainda outra questão importante que deverá sofrer influência da nova tecnologia 5G: os serviços públicos.

“Hoje um dos projetos que vem sendo discutido é a escola do futuro. Por exemplo: o aluno vai entrar no ambiente escolar e terá sua presença detectada automaticamente como se a chamada já tivesse sido respondida. Chega nesse nível de sofisticação. Também vai permitir controlar a merenda, evitando desperdícios já que o pessoal da cozinha vai saber previamente quantas pessoas estão na escola e com isso a quantidade de refeições precisarão ser preparadas. É nesse nível de sofisticação que nós chegaremos”, apontou Pacher. “Isso falando apenas do serviços públicos, de fatores como medidor de água, água pré-paga, luz pré-paga, o céu será o limite.”

O 5G não é somente uma internet rápida, continua o presidente do Comitê Inova Jaraguá. “A baixa latência que é o tempo de resposta do equipamento e da rede vai possibilitar inúmeras outras inovações como o carro autônomo (sem motorista), algo que já se fala há algum tempo. Esta também é uma das funcionalidades da nova tecnologia.”

Antecipação

O Secretário Daniel Arruda acredita que todos os movimentos que foram feitos até o momento visam antecipar a implantação do 5G no Município. “Porque se não fizermos nada de maneira proativa nós teremos Internet 5G somente em 2024.”

Nesta direção Jaraguá do Sul aprovou, além da mencionada Lei das Antenas, também a Lei do Sandbox (nº8746/2021) que tem como objetivo desburocratizar projetos relacionados com inovação e consequentemente com 5G.

“O ambiente de negócios em Jaraguá é muito propício para isso. Esse é o grande diferencial que nós temos. Objetivamente: adaptamos nossa legislação, ou seja, fizemos a nossa parte. Estamos conversando com a Anatel para que eles permitam fazer um projeto-piloto aqui dentro do Conecta 5G. Algo que deveria já ter ocorrido em março, mas que deve ocorrer agora em agosto sendo uma iniciativa da própria ABDI”, argumentou Arruda.