Com perdas significativas na Indústria, Jaraguá do Sul encerrou o mês de junho com saldo negativo na geração de emprego do ano. Foram 109 postos de trabalhos perdidos no mês, com 1.622 admissões e 1.731 desligamentos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego na última sexta-feira (20).

O resultado negativo foi puxado primariamente pela indústria de transformação, que viu a perda de 103 postos de trabalho, e a construção civil, que registrou saldo negativo de 31 cargos. Os resultados positivos ficaram por conta do setor público, com 14 empregos, o setor de serviços com nove e o comércio, com oito.

O resultado é inverso ao do mesmo mês no ano passado - junho de 2017 encerrou o mês com geração de 195 novos postos de trabalho em Jaraguá do Sul.

A diferença de resultados e as perdas do mês podem ser atribuídas aos impactos econômicos da paralisação dos caminhoneiros no último terço do mês de maio, que afetou fortemente a indústria, segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico de Jaraguá do Sul, Domingos Zancanaro.

"Tivemos um momento bastante delicado com a greve dos caminhoneiros, afetando a macro-economia brasileira e diminuindo a empregabilidade, criando um período de recessão que nos trouxe um impacto muito negativo", diz.

Ele afirma que agora há indicadores de que a economia esteja voltando a crescer, e que as empresas voltaram a investir - mas estes reflexos ainda são limitados.

No semestre, indústria gerou mais de 1,2 mil postos

Apesar das perdas significativas em junho, a indústria segue liderando a geração de emprego em Jaraguá do Sul, com 1.210 postos de trabalho gerados ao longo de 2018.

O resultado do ano segue positivo, apesar do resultado negativo de junho. Foram gerados de janeiro a junho 2.294 postos de trabalho formais, com 13.985 contratações e 11.691 desligamentos ao longo do ano. Ao fim de 2017, Jaraguá do Sul contava com 61.886 postos de trabalho formalizados. Ao fim de junho, esse total chegou a 64.180.

O saldo dos 12 meses entre junho passado e junho deste ano também segue positivo, embora com menor intensidade, devido à resultados negativos no final do ano passado.

De junho a junho, foram gerados 1.292 empregos em Jaraguá do Sul, resultado liderado pelo comércio, com 465 postos, o setor de serviços, com 357, e a administração pública, com 207.

Região registra saldos negativos

Jaraguá do Sul não foi o único município do Vale do Itapocu a registrar saldos negativos. O padrão se repetiu em outros municípios da região e a nível estadual.

Guaramirim encerrou o mês com perda de 22 postos de trabalho, com 363 admissões e 385 desligamentos. Schroeder registrou perda ainda maior: 23 postos, com 128 admissões e 151 desligamentos.

Corupá também encerrou o sexto mês do ano com resultados negativos, com perda de 12 postos de trabalho formais, após 116 admissões e 128 desligamentos.

Contra a tendência, Massaranduba registrou saldo positivo de 28 postos de trabalho, com 148 admissões e 120 desligamentos no sexto mês do ano.

A microrregião de Joinville - composta pelos municípios de Joinville, Jaraguá do Sul, Guaramirim, Corupá, Araquari, Balneário Barra do Sul, Itapoá, Massaranduba, Schroeder, Garuva e São Francisco do Sul - encerrou o mês saldo negativo de 222 postos de trabalho. A microrregião registrou 10.200 admissões e 10.422 demissões.

O estado de Santa Catarina registrou perda de mais 4 mil postos de trabalho no mês de junho, com 67.088 contratações e 71.108 desligamentos no mês.

Apesar do resultado fortemente negativo para o mês, o saldo do ano segue positivo, com geração de 33.500 empregos com carteira assinada ao longo de 2018.

 

Fonte:  Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Quer receber as notícias no WhatsApp?