Jaraguá do Sul encerrou 2019 com a melhor geração de emprego da década e um saldo de empregos formais 3,7 vezes maior do que o registrado em 2018, ano em que foram registrados 459 novos empregos formais.

Foram 1.697 empregos com carteira assinada firmados no ano, encerrando 2019 com um total de 63.456 empregos formais, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira.

O resultado supera o registrado em 2013, até então o melhor da década, de 1.609 empregos. No ano, foram 26.022 admissões e 24.325 desligamentos, entre demissões e aposentadorias.

Apesar do resultado fortemente positivo, o saldo de 2019 ainda não compensou as perdas elevadas dos dois anos de crise, 2015 e 2016, que somaram mais de sete mil postos de trabalho fechados no município, mas indicam que o período de saldos parcos, abaixo dos quatro dígitos, pode estar terminando.

O destaque da geração de emprego fica por conta da indústria de transformação, com 265.

Embora não seja o setor com maior geração, perdendo para o comércio, com 583, e a administração pública, com 473, o setor sai de um longo e amargo período de perdas que se alastrava desde 2012, registrando pela primeira vez em sete anos um saldo anual positivo.

Também registraram saldos positivos os setores de serviços, com 248 empregos com carteira assinada, e a construção civil, com 131 postos formalizados.

Os únicos setores com saldo negativo no ano foram extração mineral, que fechou dois postos de trabalho, e serviços industriais de utilidade pública, que fechou quatro.

Mês fechou com saldo negativo

Apesar do resultado positivo do ano, o mês de dezembro fechou com perda de 1.560 postos de trabalho formais no município, com apenas 793 admissões e 2.353 desligamentos no último mês do ano.

A indústria de transformação perdeu 1.040 empregos formais em dezembro, acompanhada do comércio, que perdeu 120, e do setor de serviços, que perdeu 296.

País tem alta na geração de emprego

O resultado positivo de Jaraguá do Sul reflete o saldo positivo nacional, de 644 mil novas vagas de emprego formal - o melhor saldo de emprego do país desde 2013, quando foram gerados 730 postos de trabalho - desde então, resultados se demonstraram decrescentes.

Em Santa Catarina, foram gerados 68.981 postos de trabalho formalizados ao longo do ano, também o melhor resultado desde 2013, quando o estado fechou o ano com a criação de 68.872 postos de trabalho formais.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger