Jaraguá do Sul foi uma das cinco cidades que mais gerou emprego em Santa Catarina nos cinco primeiros meses do ano, com saldo de 4299 vagas entre janeiro e maio, atrás apenas de Joinville, Blumenau, São José e Itajaí.

Neste período, a cidade teve um acumulado no ano de 17.581 admissões, 13.282 demissões. Somente em maio, Jaraguá registrou 3032 novas contratações contra 2573 desligamentos, encerrando o mês com saldo positivo de 459 postos de trabalho.

O saldo no mês foi liderado pelas mulheres - 309, contra 150 homens - e os jovens: metade das vagas (227) foram na faixa dos 18 aos 24 anos. Quase dois terços do saldo de empregos foi para trabalhadores com ensino médio completo (295), seguidos pelo médio incompleto (83) e o superior completo (81).

Por setor, a indústria segue na liderança ampla da geração de emprego em Jaraguá do Sul, com saldo positivo de 248 postos, seguida por serviços, com 166. Os setores de comércio e construção civil fecharam o mês também em saldo positivo, com 45 e dois postos, respectivamente, enquanto a agropecuária teve saldo negativo de dois postos.

Ao todo, o município fechou o mês de maio com 68.739 trabalhadores com carteira assinada, dos quais 51% (35.610) trabalham na indústria e 28% (19.675) trabalham no setor de serviços.

O secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Daniel Arruda, os números do Caged referendam o perfil empreendedor jaraguaense. “São dados extremamente positivos para a nossa cidade, contando com um ótimo ambiente de trabalho, diversidade do parque industrial e o empreendedorismo jaraguaense, mais uma vez Jaraguá do Sul mostra sua força produtiva e solidez econômica diante do cenário atual”, afirma.

O coordenador da Agência do Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Jaraguá do Sul, Douglas Venturi também avaliou positivamente o desempenho do Município no ranking do Caged. “Que bom ver Jaraguá do Sul sempre se mantendo entre as dez primeiras cidades de Santa Catarina em número admissões comparado ao de demissões, num saldo que demonstra maior empregabilidade e isso é muito importante para o progresso e desenvolvimento da própria cidade.”

Ele aponta ainda que atualmente o setor metalúrgico é um dos que mais oferece demanda de ofertas de emprego (para as funções de soldador, mecânico de manutenção, fresador e torneiro) seguido dos setores têxtil (para cargos de costureira, tecelão, revisora e de construção civil (as áreas de pedreiro, servente, armador, marceneiro).