Jaraguá do Sul é a sétima maior economia do estado e representa 3,9% da economia catarinense. A informação consta do ranking das cidades com maior Produto Interno Bruto (PIB)  de Santa Catarina, com base em dados de 2016, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última sexta-feira (14).

Jaraguá do Sul, com PIB de R$ 7,7 bilhões, encurtou a distância entre ela e o sexto colocado, Chapecó, com PIB de R$ 8,3 bilhões.

Comparado aos dados da última edição da lista, de 2016, vigente para a economia de 2014, a economia de Jaraguá do Sul cresceu 11,59%. Naquele ano, o PIB do município era de R$ 6,99 bilhões.

No mesmo período, a economia nacional encolheu 7%. Com PIB de R$ 7,7 bilhões em 2014, Chapecó cresceu comparativamente menos: 7,79%.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico de Jaraguá do Sul, Domingos Zancanaro, este resultado demonstra a força da indústria do município, que se manteve em crescimento apesar do cenário de crise.

"Temos uma indústria muito bem instalada, com um forte mercado exportador, e que pôde aproveitar as oportunidades no mercado externo com a valorização do dólar", explica. A indústria de Transformação foi o setor mais prejudicado pela crise econômica que marcou os anos de 2015 e 2016.

Ele frisa que o resultado poderia ser melhor e que a cidade tem vários desafios pela frente para retomar a vanguarda. "A indústria local já tem um portfólio bem forte, mas temos dificuldades impostas pela BR-280 e várias medidas a serem tomadas para que possamos avançar no ranking", explica.

Segundo o secretário, o empreendedorismo e a inovação tem se configurado como oportunidades para ampliar o crescimento econômico da cidade, facilitado por medidas de desburocratização e iniciativas como o Centro de Inovação.

"Dois mil e dezoito tem demonstrado grande potencial neste sentido, até novembro registramos a abertura de 1.433 empresas, 43% a mais do que em todo o ano de 2017", conta. O ano passado viu a abertura de 937 empresas no município.

Jaraguá do Sul tem outro motivo para destaque, como um dos dois únicos municípios no top 10 a não ter sua economia pautada no setor de serviços - a liderança fica com o setor de indústria de transformação.

O município se destaca desta maneira junto a Itajaí, onde a economia é centrada em comércio e reparo de veículos.

A ponta do ranking se manteve quase inalterada, liderada por Joinville, com R$ 25,2 bilhões, seguida por Itajaí, com R$ 19,2 bilhões, e Florianópolis, com R$ 18,6 bilhões - com uma inversão nas posições de Itajaí e de Florianópolis.

Em 2014, Florianópolis ocupava o segundo lugar, com R$ 17,32 bilhões, enquanto Itajaí estava em terceiro, com R$ 17,128 bilhões. Com crescimento de apenas 5,66%, a capital também é única a não ocupar o primeiro lugar no ranking de seu estado.

Uma cidade também entrou na lista: Balneário Camboriú, com crescimento de 10,36% no período e PIB de R$ 4,9 bilhões, ante a R$ 4,44 bilhões em 2014, tomando o lugar de Palhoça, cujo PIB caiu de R$ 5,2 bilhões para R$ 4,3 bilhões no período.

Ranking do PIB em SC

  1. Joinville – R$ 25,6 bilhões
  2. Itajaí – R$ 19,2 bilhões
  3. Florianópolis – R$ 18,6 bilhões
  4. Blumenau – R$ 15,3 bilhões
  5. São José – R$ 9,9 bilhões
  6. Chapecó – R$ 8,3 bilhões
  7. Jaraguá do Sul – R$ 7,7 bilhões
  8. Criciúma – R$ 6,8 bilhões
  9. Brusque – R$ 5,2 bilhões
  10. Balneário Camboriú – R$ 4,9 bilhões

PIB per capita

No ranking do PIB per capita, a situação muda radicalmente, e Itajaí é a única cidade a aparecer nos dois rankings, com média é de R$ 94 mil, para uma população de 208 mil habitantes. Este ranking é liderado por Piratuba, com PIB per capita de R$ 180 mil e 4.102 habitantes.

Há motivos para esta disparidade, no entanto: com a exceção de São Francisco do Sul, Araquari e Itajaí, as integrantes da lista de municípios com o maior PIB per capita do estado são municípios de pequeno porte - a maior delas, Campos Novos, tem 35 mil habitantes -  com economias baseadas primariamente no turismo, atraindo grandes movimentações financeiras de fora do município.

A campeã da lista, Piratuba, chega a receber 110 vezes a sua população em turistas anualmente, atraídos por fontes termais descobertas em 1964, durante uma prospecção da Petrobras.

São cerca de 450 mil turistas que visitam anualmente o pequeno município, que já foi uma das economias mais pobres do estado.

​PIB per capita em SC

  1. Piratuba – R$ 180 mil
  2. Araquari – R$  94 mil
  3. Itajaí – R$ 92 mil
  4. Treze Tílias – R$ 73 mil
  5. Vargem Bonita – R$ 72 mil
  6. Antonio Carlos – R$ 72 mil
  7. São Francisco do Sul – R$ 72 mil
  8. Morro Grande – R$ 60 mil
  9. Campos Novos – R$ 55 mil
  10. Pomerode – R$ 53 mil

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?