Jaraguá do Sul segue com saldo positivo na geração de emprego em 2019, com um acumulado de 2.006 postos de trabalho gerados nos dois primeiros meses do ano.

Foram 829 em janeiro e 1.177 novas vagas abertas em fevereiro - e no último mês, a indústria e administração pública criaram sozinhas 950 postos, 80% do total. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta segunda-feira (25).

A indústria segue como o principal empregador nos cinco municípios da região. Em Jaraguá do Sul, o setor foi responsável por 649 dos 1.177 empregos gerados no mês, liderado pelo subsetor têxtil, com saldo de 351 empregos, e o subsetor elétrico, com 128.

O setor têxtil conta com demanda acelerada por conta da aproximação do inverno e a ainda tímida retomada do consumo.

O segundo maior contratador em Jaraguá do Sul foi a administração pública, puxada pela abertura de vagas a professores em Admissão de Caráter Temporário (ACTs).  Em fevereiro, o saldo de emprego desse setor em Jaraguá do Sul foi de 301 postos de trabalho.

Segundo a Prefeitura, foram mais de 500 contratações de temporários entre janeiro e fevereiro - das quais 90% são professores. O Município ainda está em fase de abertura de concursos públicos, o que deve levar a mais contratações em caráter permanente.

Além do setor público e da  indústria, os resultados mais expressivos para Jaraguá do Sul foram por parte do comércio, com criação de 75 postos de trabalho, e do setor de serviços, com 133.

Na região, indústria lidera

Os saldos foram positivos em todos os municípios da região do Vale do Itapocu, seguindo uma tendência positiva que também marcou Santa Catarina, o terceiro maior gerador de emprego do país para o mês.

Nos cinco municípios, a indústria foi o principal responsável pela geração de empregos - das 1.711 vagas geradas na região, 1.062 foram na indústria de transformação.

Em Guaramirim, o mês encerrou com saldo de 274 postos de trabalho, liderados pela indústria de transformação, com 223 postos, o setor de serviços, com 36, e o comércio, com 24.

Dos cinco municípios da região, Guaramirim foi o único a registrar saldo negativo na administração pública, com fechamento líquido de quatro postos.

Em Schroeder, o saldo de 102 postos foi marcado por 56 empregos na indústria e 43 na administração pública. O município teve saldo negativo apenas na construção civil, com perda de quatro empregos.

A indústria respondeu por 45 empregos dentro de um saldo de 56 obtido por Corupá, seguida pela administração pública com 11 e o comércio com dois. Em contrapartida, a agropecuária registrou perda de dois postos.

No município de Massaranduba, o saldo de 102 postos de trabalho foi composto por 89 postos na indústria, 10 no setor de serviços e cinco na agropecuária, com um saldo negativo de dois postos no setor do comércio. O município foi o único na região a ter perdas no comércio.

Já o estado gerou 10.626 empregos na indústria, em um total de 25.304 postos criados no mês, com resultados negativos em apenas um setor: o comércio, com perda de 310 empregos em Santa Catarina.

Além da indústria, serviços, agropecuária e administração pública tiveram resultados expressivos, com 7.097 postos no setor de serviços, 3.974 no setor público e 2.599 na agropecuária.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?