Com investimento de cerca de R$ 400 milhões, o projeto da norueguesa Golar Power pretende atender ao Sul do país com GNL | Foto Reprodução/Golar
Com investimento de cerca de R$ 400 milhões, o projeto da norueguesa Golar Power pretende atender ao Sul do país com GNL | Foto Reprodução/Golar

Fonte: Reprodução/ Golar

O IMA (Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina) concedeu a LAP (licença ambiental prévia) para implantação do empreendimento Terminal Gás Sul em São Francisco do Sul. Com investimento de cerca de R$ 400 milhões, o projeto da norueguesa Golar Power pretende atender ao Sul do país com GNL (gás natural liquefeito).

A SC GÁS, que tem participação acionista de forma indireta do Governo do Estado, por meio da Celesc, está entre os potenciais compradores do terminal. Para o presidente da companhia Willian Anderson Lehmkuhl, o projeto traz segurança energética à região.

Além disso, o empreendimento dará flexibilidade para aquisição de gás natural por meio de diversos ofertantes do mundo a preços mais competitivos que os atuais, considerando que o sistema em operação depende de único supridor e de gasoduto de transporte que opera hoje no limite da sua capacidade.

“Hoje o interposto do gás da Bolívia fica no Mato Grosso do Sul. Com o terminal da Baía da Babitonga, teríamos o abastecimento mais próximo, em Santa Catarina. O GNL também é mais flexível e ajuda na interiorização do gás, por meio de redes isoladas, o que reduz os custos logísticos”, afirma o presidente da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl.

Com o GNL a interiorização da oferta da energia também poderá ser acelerada, considerando a versatilidade do produto e os custos logísticos que são bem menores em relação à operação pelo modal de GNC (gás natural comprimido) ou pela implantação de novas redes de distribuição.

O gás líquido é um aliado para implantação de redes locais isoladas, a exemplo do que a SC GÁS vem realizando atualmente com obras em execução na cidade de Lages.

Mercado catarinense em expansão

A SC GÁS hoje distribui cerca de 2 milhões m³/dia de gás a quase 60 cidades catarinenses. O volume representou um crescimento de quase 8% na distribuição de gás natural no Estado.

Em 2018, o número de consumidores da SC GÁS foi ampliado em 11,8%, passando de 12.069 ao final de 2017 para 13.491 em dezembro de 2018, principalmente nos mercados industrial e residencial, que registraram crescimento de 8,1% e 9,1% respectivamente.

Também foram investidos R$ 23 milhões para construção de 19,5 km de rede de distribuição, alcançando uma extensão total de 1.157 km de rede implantada em Santa Catarina.

*Com informações da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado

Quer receber as notícias no WhatsApp?