O Grupo Lunelli, sensível à luta contra o avanço do coronavírus, produz kits de máscaras de tecido que serão encaminhados para doação.

A empresa disponibilizou matéria-prima e mão de obra para a fabricação de cerca de 30 mil máscaras e está estudando um encaminhamento para esses materiais, que podem ajudar a impedir que o vírus se espalhe.

A ideia é disponibilizá-los para profissionais de atividades essenciais, como saúde e segurança pública.

 

 

Por serem de tecido, as máscaras precisam ser higienizadas antes do uso. O kit acompanha um folder com as instruções de como higienizar e utilizar a máscara de tecido.

As orientações são para a lavagem - com água e sabão neutro – e enxágue do produto.

Também é indicado que a máscara de tecido permaneça por cerca de 15 minutos em uma solução de água e vinagre de álcool e que somente depois da lavagem e secagem ela seja utilizada.

 

 

Por ser reutilizável, recomenda-se, ainda, a esterilização, fervendo-a por 15 minutos a cada nova lavação.

Esse acessório pode ajudar a impedir que pessoas infectadas levem o vírus adiante.

Com boca e nariz cobertos, os fluídos desses pacientes não entram em contato com outras pessoas ou objetos, limitando o espalhamento da doença. Por isso, a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o Ministério da Saúde do Brasil aconselham que somente as pessoas com os sintomas da doença utilizem as máscaras.

Quem não apresenta sintomas não precisa recorrer a elas. Profissionais da saúde, que estão vulneráveis em contato com pessoas doentes, também podem fazer uso.

 

Com informações de assessoria de imprensa.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul