Um lugar cercado por prédios históricos, comércios, propriedades rurais e a forte preservação da cultura germânica. Localizado no interior de Jaraguá do Sul, o bairro Rio da Luz possui grandes potenciais turísticos que ainda precisam ser explorados na região.

Foi justamente este conjunto de potencialidades que motivou um grupo de empreendedores da região a formar uma associação com o objetivo de estruturar e fomentar o turismo do local como negócio.

A ideia surgiu durante as reuniões com o Núcleo Rotary de Desenvolvimento Comunitário (NRDC).

Casa Rux foi tombada antes mesmo do processo ser ampliado para todo o bairro | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Vivendo há 8 anos no bairro, Júlio César da Silva é um dos integrantes do grupo e tem como objetivo criar uma pousada na região. "A propriedade é uma herança da família. Pretendo aproveitar de alguma forma e dar continuidade, mantendo o local socialmente sustentável", explica.

Segundo Silva, os empreendedores perceberam que o Rio da Luz possui características voltadas ao turismo religioso, gastronômico, ecológico, de aventura e de contemplação.

Com o intuito de analisar as capacidades e identificar o que precisa ser melhorado para atender os turistas, o grupo se reúne semanalmente.

A primeira reunião foi realizada na Casa Rux, devido a sua importância histórica.

Foto Divulgação

"Foi diagnosticado que parte da comunicação é muito precária na região e a iluminação do bairro também precisa ser melhorada", aponta o empresário.

O grupo também destacou as tendências que podem ganhar força no local. "O cicloturismo é algo muito forte no município e precisa ter algo voltado para esta atividade no bairro", explica Júlio César.

Tombamento preserva identidade

O bairro Rio da Luz é famoso por ser tombado como patrimônio cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan) para preservar a sua história e a cultura germânica da região.

"Como um grupo turístico, a gente entende que não importa se o bairro está tombado ou não. Ele tem muitas potencialidades e vamos buscar uma estrutura para aproveitá-las", avalia Silva.

Para Ana Elisa Schoereder, que possui um estabelecimento no bairro, o apoio da associação será importante para valorizar pontos turísticos ainda pouco explorados. "Vejo o tombamento para o negócio importante. Muitas pessoas de fora têm procurado o bairro por causa disso", explica.

O grupo já possui 14 empreendedores. De acordo com Júlio César, interessados em investir no turismo do bairro podem entrar em contato pelo telefone (47) 9977-9677.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger