O governo deve anunciar em outubro mês uma série de medidas para dinamizar o mercado de trabalho, Segundo o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho.

O chamado "Choque de Emprego", proposto por Paulo Guedes, deve abordar pontos como qualificação de trabalhadores, acesso a microcrédito e criação de novas vagas.

Ao mesmo tempo, o governo deve revisar o sistema de cotas para menores aprendizes e pessoas com deficiência nas empresas. A revisão não significa uma mudança no percentual obrigatório de contratação definido por lei, diz Marinho.

A regra estabelece um percentual 5% de contratação de pessoas com deficiência para empresas com mais de mil funcionários, por exemplo.

"Nós não estamos preocupados em diminuir o percentual (de contratação por lei), isso é uma questão que está sacramentada. Mas há a necessidade de racionalizar a forma como essa situação se dá. Existem empresas que, pela sua diversidade e a sua complexidade, tem dificuldade de cumprir essas cotas, e nós temos que buscar alternativas para não perdermos essa possibilidade", afirmou Rogério Marinho após uma palestra no IV Fórum Nacional do Comércio, em Brasília.

Segundo o secretário, quase 400 mil vagas de emprego geradas do ano passado para cá para pessoas com deficiência não foram preenchidas.

Outra questão que o governo deseja alterar são as regras de afastamento por acidente de trabalho. A ideia é que o trabalhador possa ser reabilitado para assumir uma atividade diferente da que acarretou o acidente.

Segundo o secretário, menos de 1% dos trabalhadores afastados chegariam a ser reabilitados.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger