Na última quinta-feira (25), o ministro da Economia, Paulo Guedes, divulgou que o governo tem “engatilhadas” novas ações para o combate ao recrudescimento da pandemia no Brasil.

Uma delas para antecipação do 13° salário de beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A medida aguardava apenas a aprovação do orçamento federal, na noite de quinta-feira. Mas de lá para cá, não houve ainda novas informações se a antecipação vai sair.

Em audiência pública na comissão temporária do Senado que acompanha as medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19, ele citou a antecipação de benefícios de aposentados e pensionistas do INSS.

Além disso, está em planejamento uma nova fase do programa de apoio a micro e pequenas empresas, o Pronampe e o relançamento do programa que possibilita a suspensão de contratos e diminuição de jornadas e salários de trabalhadores.

O ministro afirmou que, em 60 dias, o esperado é que o país tenha um cenário diferente por causa das medidas do protocolo de crise a serem feitas em sequência.

A medida de antecipar o 13º salário visa aplicar uma injeção financeira capaz de garantir a rotatividade do PIB.

Em 2020, a antecipação do 13° salário para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social aconteceu em duas parcelas.

A primeira foi paga no mês de abril e a segunda em maio. A antecipação é uma medida simples de ser feita, já que o recurso já está disponível.