A geração de emprego desacelerou, mas se manteve positiva pelo quarto mês consecutivo em Jaraguá do Sul, com abertura de 437 novos postos de trabalho no mês, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira (27).

O resultado mantém o fluxo positivo aberto com as 828 vagas geradas em janeiro, 1.384 em fevereiro e 1.227 em março. O primeiro trimestre do ano registrou a abertura de 3.453 novos empregos no município.

Foram 2.955 contratações e 2.518 desligamentos no mês, demonstrando primariamente uma queda nas contratações. A geração de emprego foi liderada pela indústria: foram 254 postos de trabalho no setor - um terço do resultado de março, de 763 - seguido por serviços, com 148.

Nenhum setor do mercado de trabalho encerrou o mês de abril com saldo negativo. A geração mais fraca ficou por conta da agropecuária, com apenas dois postos. Com os resultados do mês, são ao todo 68.228 empregos formais em Jaraguá do Sul.

Somente os trabalhadores com ensino fundamental incompleto tiveram perda nos estoques de emprego, com perda de cinco postos, repetindo o quadro visto em março. Os maiores saldos entre os trabalhadores com ensino médio completo (277) e o superior completo (93), responsáveis por 63,3% e 21,2% das vagas, respectivamente.

A geração foi puxada pelos jovens, com 184 vagas de emprego na faixa dos 18 aos 24 anos, seguidos pela faixa dos 25 aos 29 com geração de 107 postos de trabalho. Apenas a faixa dos 65 anos ao mais teve saldo negativo, de quatro postos.

Por gênero, os homens tiveram geração consideravelmente mais forte, com quase três homens empregados para cada mulher: foram 314 postos para homens contra 123 para mulheres, uma diferença de 155%.

Apesar de um resultado negativo no mês de dezembro, o município havia encerrado o ano passado com saldo positivo na geração de emprego, recuperando as perdas dos meses mais graves da pandemia e encerrando o ano com a geração de 184 postos de trabalho formais.