Apesar da Petrobras ter anunciado redução de 3,8% a partir do dia 17 e outra redução de 1,4%  no dia 18, desde o início de novembro até esta quarta-feira (22) a gasolina acumula alta de 0,7% pois do dia 2 ao dia 9 de novembro foram 8,8% de aumento. O diesel subiu 2,6% do início de novembro até esta quarta (22). De agosto até outubro, a gasolina na Petrobras já subiu 13,9% e o diesel 15,4%. Aliado a isso, desde o dia 1º de novembro, o governo estadual elevou em seis centavos o valor do imposto sobre a gasolina comum, o que contribuiu para o aumento de preços sentido pelo consumidor na semana passada, além de outros fatores, como o etanol anidro que representa 27% da composição da gasolina e também apresentou diversas altas, já que estamos no período da entressafra. “Quando a Petrobras anuncia o aumento ou a redução, esse valor refere-se à refinaria, ou seja: para a distribuidora (ex. Raizen, Ipiranga, Petrobras, Ale, entre outras) esta é que vai repassar os combustíveis para os postos”, informa o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro/SC), Reinaldo Francisco Geraldi. Segundo ele, a distribuidora pode ou não repassar a diferença ao dono do posto de combustível. “Por vezes essa diferença não chega ao consumidor final, por que também não chega ao posto de combustível, já que entre a Petrobras Refinaria e o dono do posto, existe um outro elo na cadeia de combustíveis, que são as distribuidoras”, acrescenta o diretor do Sindepetro. O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina não realiza pesquisa de preço e não tem o controle se a redução foi repassada aos postos e quando será, informa Reinaldo Geraldi.  Apesar de não realizar pesquisa de preço, em Joinville, por exemplo, o Sindipetro/SC notou uma redução nos preços dos combustíveis, mas a confirmação só poderá ser dada pelos órgãos responsáveis pelo levantamento de preços: ANP e PROCONs. O Sindipetro responde por 222 munícipios do Estado (você pode conferir a listagem no link: http://sindipetro.com.br/site/base-territorial/), excluindo as regiões de Florianópolis e Vale do Itajaí. Com informações da assessoria de imprensa do Sindipetro