A aprovação pela Câmara dos Deputados da tabela que fixará valores mínimos de frete para o transporte rodoviário de cargas será debatida em reunião da Câmara de Assuntos de Transporte e Logística da Fiesc, na próxima quarta-feira (18), às 14 horas, na sede da entidade, em Florianópolis.

Para a indústria, o resultado da votação da Medida Provisória 832/2018, pela Câmara dos Deputados, no último dia 11, representa o risco de se perpetuar uma medida ineficaz, cujos impactos sobre os custos de produção e sobre a inflação serão pagos por toda a sociedade.

De acordo com as lideranças da Fiesc, a indústria continuará, durante a tramitação da proposta no Senado, a apresentar subsídios que demonstram a ineficácia da medida como solução para o problema do transporte rodoviário de cargas no Brasil.

Além disso, segundo a Federação das Indústrias de Santa Catarina, o setor continua a defender o deferimento da ação direta de inconstitucionalidade (Adin), apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF), em 14 de junho, na qual a Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta diversos vícios de constitucionalidade na MP 832, como a violação dos princípios da livre concorrência, da livre iniciativa e da defesa do consumidor.

Ainda durante a reunião na FIESC, será apresentado o Programa de Logística Verde Brasil (PLVB), iniciativa coordenada pelo Laboratório de Transporte de Carga da UFRJ e formada por grupo de empresas privadas que busca reduzir a intensidade das emissões de gases de efeito estufa, em particular o dióxido de carbono (CO2), dos poluentes atmosféricos e também melhorar a eficiência logística e do transporte de carga no Brasil.

No encontro também será apresentada a situação atual e as perspectivas do Porto de Itajaí, com a presença do superintendente do Porto, Marcelo Salles.

* Com informações da Fiesc

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?