Fiesc: Indústria de SC é protagonista, disruptiva e abraça oportunidades

Fórum RADAR Reinvenção foi promovido pela FIESC nesta quinta e sexta-feira, em Florianópolis (foto: José Somensi)

Por: Pedro Leal

20/10/2023 - 15:10 - Atualizada em: 20/10/2023 - 15:44

“A indústria catarinense é protagonista, disruptiva, enfrenta os desafios e abraça oportunidades. Isso ficou evidenciado no Fórum RADAR”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar, no encerramento do evento, nesta sexta-feira, dia 20. Ele destacou que o setor está pronto para ingressar no cenário de neoindustrialização, como mostram empresários e especialistas nos dois dias de encontro.

“Enalteço o espírito empreendedor de Santa Catarina. Tivemos aqui empresas de referência que mostraram os desafios e as oportunidades que estão surgindo. São empresas que nasceram aqui e são referência”, disse, observando que o objetivo é ampliar cada vez mais a inserção internacional catarinense.

Em sua participação virtual, o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, disse que “o governo federal está empenhado em colocar a indústria como eixo fundamental do desenvolvimento econômico brasileiro em bases tecnológicas e sustentáveis, enfrentado desafios que são mundiais, como a questão da transição ecológica, a inovação e a inclusão”. Ele ressaltou que Santa Catarina é um dos estados mais industrializados do Brasil, sinônimo de inovação e sustentabilidade e que o setor produtivo catarinense é estratégico para o processo de neoindustraização do país.

Na visão do economista e diplomata Marcos Troyjo, o redesenho das redes de produção no mundo podem favorecer muito o Brasil e a indústria catarinense, mas ele chamou a atenção para a importância de o país prosseguir com as reformas. “Neoindustrialização precisa da continuação das reformas estruturais. Essa dinâmica precisa continuar. É impossível fazer neoindustrialização em termos competitivos se você não tem uma estrutura tributária ou trabalhista harmonizada com os novos parâmetros que vêm”, alertou.

“O ambiente empresarial e o arranjo produtivo que melhor se organizar estará mais apto a pegar o elevador e ocupar posições estratégicas. E identifico isso no ambiente industrial de Santa Catarina, pela vitalidade da sua estrutura industrial”, disse o diretor-geral do SENAI Nacional, Rafael Lucchesi, que participou de forma virtual.

Na manhã desta sexta-feira, representantes das empresas RandonCorp, Philips e Tupy abordaram temas como transformação digital, investimentos em P&D e transição energética – tema que foi destacado também pelo secretário de desenvolvimento industrial, inovação, comércio e serviços do Ministério de Indústria e Comércio (MDIC), Uallace Moreira.