Na semana passada, a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) oficializou a criação do Comitê de Desenvolvimento Regional do Vale do Itapocu.

O Comitê, que reúne representantes da indústria e de setores ativos da economia, é uma iniciativa da vice-presidência regional da entidade na região e tem como objetivo definir áreas onde devem ser priorizados esforços para a melhoria do desempenho do setor produtivo.

Célio Bayer, vice-presidente regional da Fiesc, explica que a criação de um comitê dá continuidade ao PDIC – Programa de Desenvolvimento da Indústria Catarinense. O programa foi lançado em 2012 com estudos apontando os setores produtivos mais promissores de Santa Catarina.

O objetivo do comitê é discutir, levantar e priorizar pontos de interesse para os nove setores de destaque na economia da região: vestuário, energia, tecnologia da informação e comunicação, bens de capital e metalmecânica, indústria da construção civil, indústria do mobiliário, alimentos, química, borracha e plásticos, saúde e turismo

Neste primeiro momento, serão definidos os representantes de cada empresa para o Comitê. Segundo a Fiesc, estas indicações terão um caráter mais técnico, ou seja, necessariamente não será o presidente da empresa ou o seu principal executivo.

Segundo o Célio Bayer, com o lançamento do comitê eles agora vão aguardar as indicações de integrantes, passando a uma etapa seguinte que seria a estruturação dos grupos de trabalho.

Com esta definição, o passo seguinte vai ser o planejamento de um cronograma. A expectativa é de que o comitê se reúna pelo menos duas vezes ao ano para as grandes deliberações. Neste intervalo entre estes grandes encontros, os núcleos por áreas fazem suas reuniões e definem demandas.

Foram identificados, com base em pesquisas, 16 segmentos de maior potencial a serem estudados como potenciais de incremento por regiões.

Na etapa seguinte, com a participação de universidades, instituições de pesquisas, e entidades que representam as categorias econômicas, foram realizados estudos e painéis, com a definição de rotas estratégicas de acordo com as vocações de cada região.

“Na região são prioridades estes nove setores que agora passam a merecer uma dedicação no sentido de definirmos meios para que se desenvolvam alinhados às exigências do mercado”, afirma Célio Bayer.

Composição do comitê

Segundo Bayer, a partir da composição do comitê será estabelecido um cronograma de reuniões para discussão de necessidades e a definição de estratégias.

“O primeiro passo é estabelecer com os representantes destes setores quais são as demandas de capacitação, formação profissional, inovação e internacionalização que devem ser atendidas”, completa o vice-presidente.

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar ressaltou a importância da mobilização dos empresários por mais competitividade, iniciativa que se soma aos esforços da entidade para que a indústria catarinense alcance cada vez maior protagonismo na economia brasileira.

“Santa Catarina é um estado que se destaca nacionalmente, mas ainda há muitas demandas que precisam ser atendidas para melhorarmos ainda mais o nosso desempenho”, disse Aguiar.

O empresário apontou as oportunidades, mas lembrou que questões como a infraestrutura afetam o desenvolvimento mais consistente.

“Nossa infraestrutura é extremamente precária e isto tem impedido que a indústria tenha um crescimento ainda maior. Os comitês de desenvolvimento regional representam uma iniciativa extremamente importante para que as regiões discutam suas vocações, avaliando as demandas e com isto possam se desenvolver com qualidade”, disse.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger