O saldo da balança comercial de Jaraguá do Sul segue positivo no terceiro mês do ano, segundo dados divulgados na quinta-feira (5) pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Em março, o município acumulou US$ 58,516 milhões em exportações - resultado 16,78% superior ao de fevereiro - e US$ 24,280 milhões em importações, 3,57% a menos do que no mês anterior. Com isso, o município fechou o mês com um saldo positivo de US$ 34,316 milhões. No acumulado dos três primeiros meses do ano, Jaraguá do Sul somou US$ 135,8 milhões em exportações e US$ 78,422 milhões em importações, com um saldo de US$ 57,4 milhões. Janeiro foi marcado por um saldo negativo, de US$ 1,924 milhão, rapidamente compensado pelos meses seguintes. O acumulado do período é superior ao registrado no ano passado, que somava R$ 124,943 milhões em exportações, US$ 72,582 milhões em importações e um saldo de US$ 52,359 milhões. No mês de março do ano passado, o município registrou US$ 56,155 milhões em exportações e US$ 28,509 milhões em importações, resultados 4,2% menor e 17% maior, respectivamente. O saldo do mês ficou na ocasião em US$ 27,645 milhões.

Balança comercial para mês de março

Jaraguá do Sul
  • Importações US$ 24,280 milhões
  • Exportações US$ 58,516 milhões
  • Saldo US$ 34,316 milhões
Guaramirim
  • Importações US$ 3,743 milhões
  •  Exportações US$ 562 mil
  •  Saldo US$ 3,181 milhão
Schroeder
  •  Importações US$ 475.669
  • Exportações US$ 116.347
  • Saldo US$ 359.322
Corupá
  •  Importações US$ 0
  • Exportações US$ 154.712
  • Saldo US$ 154.712
Massaranduba
  • Importações US$ 55.523
  •  Exportações US$ 358.174
  • Saldo US$ 302.651
Santa Catarina
  •  Importações US$ 1,236 bilhões
  • Exportações US$ 770 milhões
  • Saldo US$ 465.847 milhões
Brasil
  • Importações US$ 13,8 bilhões
  • Exportações US$ 20,089 bilhões
  • Saldo US$ 6,2 bilhões

Na microregião

Guaramirim manteve o saldo negativo, encerrando o mês com um déficit comercial de US$ 3,1 milhões. O cenário é de oscilação: depois de um crescimento de 1.220% nas exportações entre janeiro e fevereiro, as exportações caíram 71,12% em março, fechando o mês em US$ 562 mil. Na contrapartida, as importações subiram 9,73%, totalizando US$ 3,7 milhões. Schroeder registrou uma queda de 47,5% nas exportações e 25,7% nas importações, fechando o mês com saldo negativo de US$ 359.322. Foram US$ 116.347 em exportações e US$ 475.669 em importações no mês, acumulando saldos negativos dos meses anteriores para fechar o trimestre com um saldo deficitário de US$ 1,7 milhão. Ainda sem volume de importações durante o ano, Corupá registrou alta de 115,76% nas exportações, que somaram US$ 154.712. Massaranduba registrou as primeiras importações do ano, somando US$ 55.523, compostas completamente por bens de capital. As exportações tiveram queda de 2,62% em comparação com o mês anterior, totalizando US$ 358.174, encerrando o mês com saldo de US$ 302.651.

Indústria segue liderando a balança

Mantendo o padrão dos outros meses, a indústria elétrica continua puxando as exportações de Jaraguá do Sul. Combinados, motores elétricos, geradores, transformadores e suas partes respondem por 84,64% do volume de exportações. Somente os motores elétricos, responsáveis por 71,27% das exportações, somaram até o final de março US$ 96,808 milhões, com alta de quase 15% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando somara US$ 84,254 milhões. As importações se mantiveram lideradas por insumos industriais, que diminuíram sua participação de 45,23% do volume de importações para 44,91%, somando US$ 35,217 milhões - 6,39% a mais do que no mesmo período de 2017. Em seguida vieram os bens de capital, com queda de 1,66% em comparação com o ano passado e peso de 33% na balança, somando US$ 25,902 milhões. Totalizando US$ 17,22 milhões, os bens de consumo foram responsáveis por 21,9% das importações, com alta de 32% em comparação com o ano passado.

Saldo do estado segue negativo

Santa Catarina voltou a fechar o mês com saldo negativo, apesar da alta de 29% nas exportações, que totalizaram US$ 770 milhões. As importações cresceram 5,05%, somando US$ 1,236 bilhão. Com o saldo negativo, de US$ 465,847 milhões, o estado acumula um déficit comercial de US$ 1,7 bilhão no ano - equivalente a pouco mais do que a soma dos seis primeiros meses de 2017. Por sua vez, a união encerrou o mês com saldo positivo de US$ 6,2 bilhões, depois de uma alta de 0,1% nas exportações em comparação com o mesmo mês de 2017, totalizando US$ 20,089 bilhões. As importações subiram 6,7% na comparação com o ano passado, somando US$ 13,8 bilhões. No acumulado do ano, o saldo é de US$ 13,947 bilhões.