A retomada econômica dos Estados Unidos teve impacto positivo no comércio exterior catarinense. Em julho, o país voltou a figurar como o principal parceiro comercial de Santa Catarina. Foram US$ 206,9 milhões negociados no mês passado, superando a China, conforme análise do Observatório Fiesc. O setor de madeira e móveis representou 58,7% da pauta de produtos comprados pelos norte-americanos, seguido pela indústria automotiva e de equipamentos elétricos.

O avanço da imunização contra a Covid-19 no país e os pacotes anunciados pelo presidente Joe Biden para reanimar a maior economia do mundo colaboraram para o resultado. “Temos acompanhado com otimismo os resultados dos Estados Unidos, uma vez que o país é um destino muito importante para as exportações de Santa Catarina. É um mercado exigente. E e o fato de ser um destino de destaque para nossa balança comercial é um atestado de qualidade para o produto catarinense”, afirma Mario Cezar de Aguiar, presidente da Fiesc.

O Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre nos EUA apontou crescimento de 6,5%, em taxa anualizada. A taxa ficou abaixo da esperada pelo mercado. Porém, o resultado ainda indica que a economia norte-americana está se recuperando e em patamar superior ao período anterior à pandemia da Covid-19.

Exportações crescem 18,2% no ano

O desempenho de Santa Catarina no comércio exterior segue o ritmo de retomada em 2021. Conforme os dados da Balança Comercial de julho analisados pelo Observatório FIESC, o embarque de produtos catarinenses para outros países teve alta de 31,1% frente ao mesmo período no ano passado. No consolidado dos sete primeiros meses de 2021, o avanço chegou a 18,2%, somando US$ 5,6 bilhões em exportações.

Em julho, os produtos à base de carne suína e de aves continuaram liderando a pauta exportadora do estado, com valor total superior a US$ 300 milhões. O setor de Alimentos e Bebidas compreende 35,3% da pauta exportadora catarinense. Já a soja registrou queda no volume de embarque de 115,2 mil toneladas, no comparativo a julho de 2020, uma redução de 30,6% no montante financeiro movimentado. Houve ainda um destaque para a exportação de motores elétricos, que vêm aumentando suas exportações desde março, tendo como principal destino os EUA.

As importações também tiveram um crescimento significativo no mês passado. Em julho, Santa Catarina comprou US$ 2,07 bilhões em itens de outros países. O resultado foi 93,5% superior a julho de 2020. No acumulado de janeiro a julho, a alta foi de 69,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, somando US$ 14 bilhões.

O cobre refinado segue liderando as compras do estado, com mais de US$ 80 milhões importados em julho. O aumento registrado foi de 230% na comparação com julho de 2020. O avanço é explicado pelo aumento na demanda por partes de motor e motores elétricos vindas dos Estados Unidos. No acumulado até julho, as compras de cobre refinado já registram expansão de 149% frente ao mesmo período do ano anterior.