Estudo ressalta importância de relacionamentos saudáveis para a felicidade no trabalho

Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por: Pedro Leal

02/06/2023 - 09:06 - Atualizada em: 02/06/2023 - 09:34

Uma nova pesquisa constatou que 78% dos trabalhadores solteiros relataram sentir tristeza em sua rotina diária, e 52% afirmaram chorar “mais do que o costume”. Especialista em relacionamentos do site MeuPatrocínio diz que resultado pode ser da pressão vinda das redes sociais.

“Solteiro não tem 1 minuto de paz. É uma frase que já virou meme. Casais postando momentos românticos, relacionamentos perfeitos e demonstrações de afeto o tempo todo, e nunca as partes difíceis da vida à dois, é um dos principais motivadores dessa tristeza. A sociedade em que convivemos, com suas convicções imutáveis, a polaridade, a falta de leveza e padrões inflexíveis dos dias atuais tornam cada vez mais difícil se relacionar. Sejamos leves, flexíveis. Temos que procurar que tipo de relacionamento nos faz bem, que nos realiza, mas isso eventualmente pode ser abrir mão de algumas coisas, e firmar o pé em outras.” diz Caio Bittencourt, especialista em relacionamentos.

Conduzido por uma equipe de pesquisadores especializados em psicologia organizacional, o estudo buscou compreender a relação entre o estado civil e o bem-estar emocional dos indivíduos no contexto profissional.

De acordo com os dados coletados, os trabalhadores em relacionamentos amorosos consistentes demonstraram maior satisfação e menor incidência de tristeza em comparação com seus colegas solteiros. A pesquisa também apontou que a presença de um parceiro ou parceira estável pode contribuir para um ambiente emocionalmente mais positivo e para a redução do estresse no trabalho.

“O estudo mostra que as pessoas que estão em um relacionamento tendem a ser mais felizes no ambiente de trabalho”, afirmou o Dr. Lucas Mendes, psicólogo e líder da pesquisa.

“Isso pode ser atribuído a diversos fatores, como o apoio emocional e a sensação de pertencimento proporcionados por um relacionamento estável.”

Embora os resultados sejam importantes para entender a influência dos relacionamentos pessoais no bem-estar profissional, o Dr. Mendes enfatiza que a felicidade no trabalho não deve depender exclusivamente do estado civil de cada indivíduo.

“É fundamental que as organizações promovam um ambiente de trabalho saudável e ofereçam suporte emocional aos seus funcionários, independentemente de seu estado civil”, acrescentou.