O Governo do Estado está investindo R$ 243,5 milhões em ações de planejamento hídrico contra os efeitos da estiagem em Santa Catarina. As medidas incluem instalação de reservatórios, implantação de novas redes e adutoras para reforço de abastecimento, em especial de áreas periféricas ou rurais, a perfuração de novos poços, além de linhas de crédito e fomento para auxiliar agricultores a enfrentar o período. Mais de 74,1 mil famílias de produtores rurais e 76 municípios serão atendidos pelas ações.

“Estamos atentos e com nossas equipes mobilizadas para acompanhar a estiagem que afeta principalmente os municípios do Grande Oeste catarinense. Nosso plano é investir R$ 1,7 bilhão justamente para ampliar a infraestrutura hídrica e preservar mananciais, o que irá tornar o Estado mais resiliente a períodos de baixo volume de chuvas. Os investimentos vão ajudar as famílias mais carentes e os produtores rurais a enfrentar esses momentos e construir um planejamento hídrico para o futuro”, afirmou o governador Carlos Moisés.

A estiagem se iniciou há um ano, mas a chuva extremamente escassa em abril de 2021 contribuiu para agravar a crise hídrica. Os acumulados foram baixos na maior parte do Estado e não chegaram a 50 milímetros (mm) nas regiões do Extremo Oeste, Oeste, Meio-Oeste, Planaltos, Alto e Médio Vale do Itajaí. Na região de Concórdia, por exemplo, a chuva não atingiu 100 mm no último mês. No Litoral e áreas próximas os volumes de chuva foram mais elevados, tendo alguns municípios registrado até 150 mm.

Em função da estiagem, 34% dos municípios catarinenses estão em estado de atenção, 3% em situação de alerta e 5% em nível crítico em relação ao abastecimento urbano.