Com a aproximação da Black Friday, é preciso cautela ao fazer as compras para evitar cair em propagandas enganosas - a popular "Black Fraude" - e em golpes.

A professora do curso de Direito da Anhanguera, Blaine Nunes, integrante da Comissão de Direito do Consumidor da OAB/SC Jaraguá do Sul, levantou algumas dicas essenciais para o consumidor nesse período pré-Black Friday.

Segundo a professora, é importante levar em conta antecipadamente o que se deseja comprar e pesquisar os preços vigentes antes da Black Friday.

"Desta forma, você pode verificar se o produto realmente teve algum desconto. Pode fazer capturas da tela, pois futuramente elas poderão ser utilizadas para embasar possíveis reclamações ou até mesmo demandas judiciais para ir fazendo essa comparação", diz.

Ela frisa que a pesquisa deve ser feita tanto nas lojas físicas quanto nas virtuais. "Se o consumidor desconfiar de falsa oferta de desconto, deve acionar os órgãos de proteção do consumo, como o Procon", explica.

Os itens em promoção devem ser obrigatoriamente sinalizados como “Black Friday”. Nas lojas físicas, se houver desconto geral para toda e qualquer mercadoria ou um desconto único em categorias, o comerciante tem de informar tanto o preço original como o promocional.

Segundo Blaine, a incidência de fraudes tem caído ano a ano, mas ainda há um grande número de vítimas de sites fraudulentos e de clonagem de cartões.

"Deve-se desconfiar de preços muito abaixo do valor de mercado, bem como de sites desconhecidos ou sem procedência. Verificar também a reputação da empresa, consultar CNPJ e até os certificados de segurança do site", recomenda.

Sites como o Reclame Aqui são uma boa pedida para verificar fraudes. Verificar também se o site possui o cadeado de segurança ao lado do endereço e se possui “HTTPS” no começo da URL.

Protegendo os seus dados

Tanto nas compras online quanto nas em lojas, a segurança com seus dados financeiros é essencial. No e-commerce, ela recomenda fazer as compras de preferência em computador pessoal, com antivírus atualizado e com modelo de proteção de navegação.

Esse recurso bloqueia acesso a sites fraudulentos automaticamente. Já nas lojas, é importante prestar atenção na hora do pagamento. "Mantenha seu cartão sempre a vista, é a maquininha que vem até você, não o contrário. Nunca deixe o seu cartão desprotegido", alerta.

O WhatsApp tem servido como a grande arapuca para golpes, com links de ofertas fantásticas que servem para pegar consumidores incautos, alerta a professora.

"Também é importante ficar atento, ao fechar o negócio, se o preço anunciado é o mesmo que consta no carrinho virtual, bem como o valor do frete. Para não ter surpresas ao efetuar o pagamento", destaca.

É essencial conferir a política de troca da loja. No caso das compras pela internet, o Código do Consumidor garante o direito do arrependimento e até sete dias depois é possível cancelar a compra, devolver produto ou pedir dinheiro de volta se o item não estiver conforme o anunciado.

Já nas lojas físicas, não existe o direito de arrependimento. Porém, deve-se consultar se a loja possui alguma política de troca, principalmente se o produto foi comprado com a finalidade de presente.

Para finalizar, sempre pedir nota fiscal. Se houver problemas, é a nota que garantirá o seu direito.