Apesar dos desafios da retomada econômica após Covid-19 no Brasil inteiro, Santa Catarina parece estar mais otimista que os outros estados. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), temos a menor taxa de desemprego, bem como, o maior crescimento industrial do país no acumulado até abril, com uma expansão de 24,4% na comparação com o mesmo período do ano passado. Trata-se do dobro da média nacional (12,15%). Indicadores seguros mostram a rápida e eficaz recuperação dos setores mais importantes da economia catarinense.

Uma das maiores preocupações do mercado atual, vem sendo a escassez de componentes e serviços especializados, que desafiam a produção e são um ponto de atenção para a retomada econômica. A exemplo disso, temos o mercado de galvanização a fogo, que apesar de estar em crescimento, ainda está muito abaixo do que poderia produzir. Um dado interessante mostra que, enquanto na Europa consome-se de 15 a 20 quilos de zinco per capta, no Brasil o número não chega a 3 quilos. Uma diferença marcante, este é um exemplo prático que existe um mercado imenso a ser explorado.

No atual cenário nacional, a escassez do serviço tem feito muitas empresas optarem por pintar os metais em vez de galvanizar, o que se torna uma solução mais simples e rápida, porém deixa os materiais com uma vida útil muito menor, indo contra a qualidade nos produtos que impulsionam o crescimento econômico.

Ainda tomando como exemplo o mercado de galvanização, o alto prazo de entrega e o aumento da demanda, podem comprometer o avanço na retomada. Levando em conta essa falta de serviço especializado, muitos fabricantes de estruturas, implementos, entre outros, optam por deixar seu material com uma vida útil menor do que aguardar grandes prazos de entrega.

A solução? A demanda impulsionada pela retomada econômica precisa de mais empresas de galvanização a fogo para não travar o crescimento, assim como em todas as demais áreas industriais a concorrência e abertura de novas empresas, parece ser uma solução natural do mercado.